Ver Angola

Educação

Baixa adesão dos alunos e preocupação dos pais marca reabertura do ensino pré-escolar

O regresso dos alunos do ensino pré-escolar, em Luanda, esta Segunda-feira, às salas de aulas ficou marcado pela pouca adesão por parte dos estudantes e pela preocupação dos pais quanto às medidas de prevenção adoptadas para travar a covid-19.

:

Um ano depois de as aulas presenciais do ensino pré-escolar terem sido suspensas devido à covid-19, os alunos que regressaram às escolas mostraram-se contentes por reverem os seus amigos, mas os pais expressaram alguma preocupação face a reabertura das salas de aula.

É o caso de Pedro Miguel, aluno na escola N.º 83, que em declarações ao Jornal de Angola, afirmou estar contente por rever os seus colegas, apesar de terem sido os poucos que apareceram.

"Estou feliz por voltar a rever meus colegas, mas, infelizmente, não podemos dar abraços, como antes, devido à covid-19", realçou.

Contudo, o contentamento de Pedro Miguel não se reflectia nos pensamentos da sua mãe que disse estar preocupada com as condições de biossegurança adoptadas para prevenir a covid-19.

"O meu filho é muito irrequieto, dificilmente fica num só lugar. O momento que vivemos exige cuidados redobrados", afirmou.

Também o Centro Infantil do Nelito Soares deu as boas-vindas aos alunos do ensino pré-escolar, mas a recepção não foi a esperada: a adesão às aulas presenciais foi baixa e, de acordo com o Jornal de Angola, no primeiro dia de aulas só seis alunos apareceram na escola.

Domingas Gomes, directora do centro, revelou que a maior parte dos pais que se desloca até ao centro é para conhecer as condições de prevenção contra a covid-19: "O centro tem água, sabão e lixívia, para a higienização das crianças. Os pais garantem trazer os filhos", avançou.

Com capacidade para albergar 500 crianças entre os 2 e 6 anos, a directora revelou que neste momento estão matriculados 400 alunos no centro.

"Geralmente, aparecem apenas, durante o ano lectivo, entre 280 a 300 crianças. Este ano, devido à pandemia, não temos certeza se vamos chegar a estes números habituais", fez saber a directora, que assegurou que todas as auxiliares do centro já foram vacinadas com a primeira dose da vacina.

A adesão tímida também se notou no Colégio Santa Catarina que, de acordo com o Jornal de Angola, só recebeu três crianças no primeiro dia de aulas presenciais.

A preocupação dos pais também ficou espelhada neste colégio: os pais e encarregados de educação decidiram buscar os filhos mais cedo para evitar ajuntamentos.

Relacionado