Ver Angola

Matérias Primas

Lucapa quer ir ao ‘coração’ do Lulo procurar origem de diamantes gigantes descobertos em Angola

A empresa australiana Lucapa Diamond Company decidiu investir na procura da origem dos diamantes gigantes que existem na mina do Lulo, na Lunda Norte.

:

A laborar num regime de contenção por causa da covid-19, a empresa australiana está a tentar voltar o mais rapidamente possível ao normal funcionamento. O objectivo deste regresso ao trabalho já está definido: descobrir de onde vêm os diamantes gigantes que têm sido encontrados, nos últimos anos, na mina do Lulo.

Até ao momento, o maior diamante alguma vez encontrado no país veio da mina operada pela empresa australiana. O mineral tinha 404 quilates, no entanto, há estudos que indicam que existem diamantes com uma dimensão maior do que os até agora encontrados.

Por essa razão, escreve o Novo Jornal, a empresa quer unir esforços e explorar a totalidade do potêncial mineiro do local. A diamantífera acredita que a origem dos diamantes gigantes está no coração da exploração: a mais de três mil quilómetros da superfície.

De acordo com uma nota da empresa, disponível na sua página da Internet, a Lucapa Diamond Company está à espera que a época chuvosa termine para poder focar todos os seus esforços na descoberta da origem dos diamantes gigantes. Para isso, indica a empresa, vai explorar os afluentes de Canguige – sitio onde foram encontradas as maiores "pedras" daquela mina.

Antes de a covid-19 ter chegado ao país, a Lucapa Diamod Company estava a tentar negociar com a Endiama e o Governo um aumento do capital a ser aplicado na mina do Lulo. No entanto, face ao panorama actual, a empresa está a trabalhar com a Endiama para arranjar uma solução lucrativa para os produtores do sector – que, nos últimos tempos, tem estado praticamente parado.

As terras do Lulo são conhecidas por serem extremamente férteis em diamantes. Em 2016 foi encontrado o maior diamante a nível nacional, com 404 quilates. A pedra preciosa acabou por ser vendida à De Grisogono, detida por Isabel dos Santos, por 16 milhões de dólares. O diamante foi polido e transformado numa jóia de 163 quilates, tendo sido vendido por cerca de 34 milhões de dólares.

Relacionado