Ver Angola

Cultura

Residência Artística Emergência: a iniciativa que desafia artistas a contar as “situações vividas em tempos de emergência”

Numa altura em que o país se encontra num estado de alerta e que seguir a norma de ficar em casa é crucial, os artistas angolanos têm criado várias iniciativas online para entreter e animar o clima de tensão que se tem vivido devido à pandemia da covid-19.

: Uma da obras produzidas por Nefwani Junior neste período
Uma da obras produzidas por Nefwani Junior neste período  

Entre concertos, formações e debates via redes sociais, surge a "Residência Artística Emergência": um projecto que pretende ligar alguns artistas nacionais e incentivá-los à "criatividade e produção intelectual em tempos de crise", permitindo ao público apreciar algumas obras sem ter de sair do conforto do sofá.

Em conversa com o VerAngola, Nefwani Junior, um dos artistas envolvidos no projecto, revelou que nos primeiros dias em que o país entrou em estado de emergência houve um sentimento de estagnação e frustração: "Sentimo-nos parados e sem ideias. Todos os projectos que tínhamos em termos de exposições foram cancelados". Foi perante este sentimento que nasceu a Residência Artística Emergência.

Nefwani Junior explicou que este projecto "pretende focar-se nas experiências e situações vividas em tempos de emergência causada pela pandemia covid-19 na nossa realidade e no resto do mundo".

A iniciativa conta com a colaboração de seis artistas: Agostinho Ngola, Filisbina Vua, Ima Tchitanga, Isabel Landama, Marisa Kingica e Nefwani Junior. A colaboração destes artistas, disse Nefwani Junior, decorreu durante a primeira fase do estado de emergência – que acabou a 11 de Abril – no entanto, o projecto vai ser renovado para os próximos 15 dias em que vigora o estado de emergência.

Mas como funciona? De acordo com Nefwani Junior, "cada artista contribui com uma ou mais obras, partilhando o processo de criação das mesmas via online nos grupos criados nas redes sociais".

As peças artísticas podem ser apresentadas de qualquer forma e feitio: "Artes visuais, sem limitações em termos de suportes ou meios de expressão, linguagens artísticas desde as mais tradicionais como o desenho, a pintura e a escultura, até as surgidas a partir da evolução tecnológica, como a fotografia, cinema, vídeos e outras como a instalação ou performance", elucidou.

Por enquanto, as pessoas podem acompanhar o processo de criação através do grupo de Facebook. No entanto, o artista revelou que já entraram "em contacto com espaços de artes que tem a programação online onde irão acontecer as exposições resultantes destas residências", acrescentando que em breve as obras "serão apresentadas em Exposição Colectiva em plataformas online criadas para entreter o público das artes devido ao confinamento social".

As expectativas são altas quanto ao sucesso do projecto. "A iniciativa já está a ser bem recebida, temos um bom feedback desde que começamos, conseguindo alguns parceiros e outros artistas mostrando o interesse em participar", disse.