Ver Angola

Comércio

Ministro do Comércio quer relatório da produção nacional para decidir sobre importações

O ministro da Indústria e do Comércio pediu esta Segunda-feira ao sector industrial que divulgue mensalmente o registo da produção nacional para saber o que o vale a pena importar.

:

Victor Fernandes, que falava no final da cerimónia de passagem de pastas com os seus antecessores, sublinhou que um dos problemas do sector é a falta de informação sobre a produção nacional.

Segundo o ministro, que se reuniu com empreendedores e empresários do sector da indústria, se houver informação da produção "é mais fácil dizer o que vale e o que não vale a pena importar".

"A primeira batalha que vamos ter logo pela frente é a batalha numérica, da estatística, e sabermos exatamente quem está a produzir, onde é que está a produzir, como é que se produz e de que forma é que podemos tratar de melhorar – aqui em Luanda ainda não estamos a produzir – e criar condições para produzir o que ainda não fazemos", referiu Victor Fernandes.

O governante realçou que nenhum país vive só de produção nacional, "importam sempre alguma coisa", mas a balança do país "está muito desequilibrada".

"Nós importamos muita coisa, um exemplo muito comum é a importação que fazemos de frango. Não faz muito sentido, um país com tantas potencialidades, e não termos autossuficiência em frangos, por exemplo", disse.

O titular da pasta da Indústria e Comércio sublinhou que quer desenvolver a indústria, no sentido de criar condições para que toda a produção passe a ser feita localmente e disponibilizada na rede de distribuição.

Victor Fernandes destacou que o Governo tem em curso medidas de apoio às actividades produtivas, consubstanciadas num projecto já aprovado e que disponibiliza linhas de crédito.

"Existem, estão disponíveis e as associações que estiveram comigo hoje foram 'brifadas' nesse sentido, para que possam, em representação, dos seus associados recorrer a essas linhas para gerirem os temas de tesouraria, a importação de insumos [matérias-primas], equipamentos", frisou.

O ministro assegurou que o Governo está atento e a encontrar as soluções com os empresários, para resolver os seus problemas.

Relacionado