Ver Angola

Ambiente

Governo investe quase 300 milhões de dólares no abastecimento de água potável

O Executivo angolano prevê investir este ano mais de 290 milhões de dólares no programa de abastecimento de água potável à população, numa altura em que apenas três milhões de pessoas têm acesso directo à rede pública.

:

Os números foram avançados hoje pelo secretário de Estado para as Águas, Luís Filipe da Silva, durante a reunião de balanço da execução do programa público "Água para todos", que já permite cobrir - entre abastecimento ao domicílio e pontos de água - cerca de 61 por cento da população angolana.

Ainda de acordo com o governante, os investimentos realizados ao abrigo deste programa em 2014 permitiram levar a água da rede pública a mais 213 mil habitantes, além da construção de 250 pontos de água e 164 sistemas, num investimento de 32 mil milhões de kwanzas, ligeiramente superior ao previsto para 2015.

Lançado em 2007, o programa "Água para todos" tem como meta atingir uma taxa de cobertura de água potável a 80 por cento da população da zona rural num prazo de dez anos. Até ao momento, segundo os dados hoje revelados por Luís Filipe da Silva, o programa já permitiu construir 2.570 pontos de água e 812 sistemas de fornecimento, num investimento superior a 900 milhões de dólares.

Nesta linha, o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) anunciou também esta quinta-feira  um empréstimo de cerca de 124 milhões de dólares a Angola, para financiar um projecto de abastecimento de água e saneamento básico que servirá directamente 922 mil habitantes de sete províncias. De acordo com informação disponibilizada à Lusa pelo BAD, este projecto pretende "melhorar a governação do sector da água", a nível urbano, além de "fortalecer a capacidade e eficiência" das instituições do sector de água e saneamento básico a nível central e provincial.

A implementar ao longo de 60 meses, nas províncias de Cabinda, Cunene, Lunda Norte, Lunda Sul, Namibe, Bengo, e Cuanza Sul, o projecto, globalmente, está avaliado em 154,7 milhões de dólares. A comparticipação pelo empréstimo do BAD, aprovado em reunião da administração da instituição na quarta-feira, ascende a 123,7 milhões de dólares. Permitirá também aumentar o acesso ao abastecimento de água a mais de 338 mil pessoas, em áreas periurbanas, e de saneamento básico a 75 mil habitantes.