Ver Angola

Matérias Primas

Minbos Resources recebe licença para exploração mineira de fosfato em Cabinda

A licença de exploração mineira de fosfato em Cabinda já foi atribuída à Minbos Resources. Segundo Lindsay Read, CEO da empresa, este avanço permite à Minbos ficar apta a criar o primeiro fertilizante extraído e fabricado no país para comercialização numa das zonas de crescimento mais promissoras a nível mundial.

:

Lindsay Read considera ainda que a rápida resposta por parte do Governo indica que o Executivo está comprometido "em apoiar e acelerar" o projecto.

"Receber a licença de exploração mineira, em menos de dois meses após a execução do contrato de investimento, normalmente um processo que demora três a cinco anos, é uma confirmação atempada do Governo angolano e do seu compromisso em apoiar e acelerar o nosso projecto", afirmou a responsável, citada pelo jornal O País.

A licença, que foi aprovada pelo Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, é renovável até 35 anos e diz respeito ao depósito de Cacáta.

Recorde-se que em Maio do ano passado, a tutela revelou os vencedores do concurso público para a entrega dos direitos mineiros, tendo adjudicado os direitos da concessão de Cácata, em Cabinda, à empresa Minbos Resources, Lda.

No início do próximo mês alguns consultores em assuntos ambientais vão até Cabinda para fazer um levantamento ambiental de base na estação húmida e na estação seca. Depois, no trimestre de Setembro, será analisada a área de licenciamento mineiro de forma a preparar o estudo de impacto ambiental.

No ano passado já tinha sido realizado um estudo prospecção sobre este projecto. As conclusões indicaram que o custo desenvolvimento do projecto iria variar entre 22,4 milhões e 27,9 milhões de dólares, baseando-se, numa primeira fase na capacidade de produção de fosfato na ordem das 150 mil toneladas por ano, contudo estima-se que a produção arranque com uma capacidade de 50 mim toneladas por ano.

A Minbos, quando terminar a fusão com a Petril Fosfatos Limitada, passará a ter em mãos três projectos de fosfato no país: à exploração em Cabinda será somado projectos em Lucunga e Pedra do Feitiçao (Zaire).

Pode saber mais sobre o projecto de Cabinda aqui.

Relacionado