Ver Angola

Defesa

Presidente elogia papel da polícia na estabilidade social e garantia da legalidade

O Presidente, João Lourenço, enalteceu este Domingo a missão da Polícia Nacional de Angola (PNA), que cumpriu o 45.º aniversário, destacando o seu papel como garante da legalidade institucional, integridade territorial e segurança e estabilidade social.

: Lusa
Lusa  

Numa mensagem de felicitações dirigida à PNA, João Lourenço, também comandante-em-chefe das Forças Armadas realçou que esta força "tem vindo a cumprir a sua honrosa e elevada missão, fiel ao espírito de defesa da paz, da integridade territorial, da segurança e estabilidade social e de garantia da legalidade institucional".

Criada poucos meses depois da independência, a Polícia Nacional tem sido criticada nos últimos tempos pelo uso excessivo de força na repressão de manifestações, sendo o caso mais recente os incidentes na vila mineira de Cafufo de que resultaram várias mortes devido a uma alegada invasão de uma esquadra, que o governo classificou como "um acto de rebelião".

João Lourenço, que destaca a modernização e melhoria da formação dos efectivos da PNA, "superando a falta de meios, de equipamentos e efectivos dos primeiros anos", sublinha que as forças policiais se têm dotado de "meios cada vez mais sofisticados e eficazes para exercer uma grande variedade de funções na defesa da ordem pública e da vida e bens dos cidadãos".

O Presidente da República conclui a mensagem exaltando "a memória dos que deram as suas vidas pela pátria" e expressando solidariedade às famílias dos efectivos que "nestas quatro décadas e meia perderam as suas vidas no exercício da sua nobre missão".

Também o Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança da Presidência da República, General Pedro Sebastião, felicitou a PNA, este Domingo, em Luanda, discursando no acto central das comemorações do 28 de Fevereiro, que tiveram lugar no Instituto Superior de Ciências Policiais.

Mostrou, no entanto, preocupação com situações que mancham a corporação face a registos de má actuação policial, encorajando os efectivos a responder à altura das suas responsabilidades, enquanto detentores de meios para impor a ordem e a segurança pública "lá onde ela for ferida".

"É a nossa tarefa que deve ser exercida e cumprida sem paternalismo e muito menos sem excesso, que podem desvirtuar a essência da vossa missão que, de resto é muito bem sublinhada no lema: Pela ordem e Pela Paz ao Serviço da Nação", concluiu o também general das Forças Armadas Angolanas, citado na página oficial de Facebook da PNA.

Pedro Sebastião, que representou, na ocasião, João Loureço, destacou o papel da Polícia também a nível da cooperação internacional, com a participação no processo de formação e preparação profissional, nos seus estabelecimentos de ensino e centros de formação, de efectivos policiais de Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Princípe, Namíbia, Zâmbia, República Democrática do Congo, Guiné Equatorial e República Centro Africana.