Ver Angola

Sociedade

Primeiro dia do estado de emergência em Luanda com “alguma movimentação de pessoas”

O primeiro dia do estado de emergência decretado no país é assinalado na capital com “alguma movimentação de pessoas”, apesar das medidas restritivas, com a polícia a ter, para já, uma abordagem tolerante no sentido de sensibilizar a população.

:

Em declarações à Lusa, Valdemar José, porta-voz do Ministério do Interior, assinalou que apesar de ter diminuído significativamente o movimento e o tráfego na capital, era esperada uma redução maior.

"Nesta altura ainda há alguma movimentação de grupos que não fazem parte das excepções" admitidas pelas regras do estado de emergência, disse, sublinhando que a abordagem da polícia a quem violar as medidas do estado de emergência nos próximos dias será essencialmente "pedagógica".

Deu como exemplo os mercados informais que estarão abertos até às 13h00 para compra e venda de bens alimentares ou a venda ambulante.
As vendedoras, conhecidas localmente como zungueiras, poderão continuar a venda de alimentos desde que cumpram o distanciamento e evitem andar acompanhadas.

Também os táxis colectivos, ou "candongueiros", poderão circular, mas o número de passageiros será apenas de um terço da capacidade
"A polícia está a ter uma acção inspectiva forte para não permitir que tenham a lotação máxima e obedeçam ao espaçamento entre pessoas", afirmou, indicando que alguns já estão a ser sancionado e que poderão mesmo ser feitas apreensões dos veículos.

Os moto-táxis, também usados por muitos luandeses, estão proibidos.

Restaurantes, cafés e estabelecimentos afins só poderão servir refeições para "take away" ou fazer entregas ao domicílio.

Também os supermercados e pequenas mercearias apelidadas de "cantinas" podem ter portas abertas, desde que se dediquem à comercialização de produtos alimentes e evitem os aglomerados de pessoas.

"A lei prevê excepções pensadas em função das pessoas que sobrevivem na base do comércio informal", explicou o mesmo responsável.

Valdemar José adiantou que à medida que se for "avaliando o comportamento dos cidadãos" as estratégias irão também sendo adaptadas, realçando que a abordagem será daqui a dois dias no sentido de uma maior disciplina.