Angola e Estados Unidos assinam acordo no domínio da segurança e ordem pública

Angola e os Estados Unidos assinam esta Segunda-feira, em Luanda, um memorando de entendimento no domínio da segurança e ordem pública, no quadro da visita oficial do secretário de Estado Adjunto norte-americano, John Sullivan.
Francisco Miudo:
    Francisco Miudo

O documento é assinado depois de as delegações norte-americana e angolana, liderada pelo ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, copresidirem o "Diálogo de Parceria Estratégica", plataforma em que os dois países discutem assuntos diversos, nomeadamente nas áreas político-diplomática, dos direitos humanos, da energia e do comércio. 

Após a assinatura do documento, John Sullivan e Manuel Augusto darão uma conferência de imprensa conjunta na sede do Ministério das Relações Exteriores, em Luanda, para anunciar o que foi decidido para promover o comércio e os investimentos norte-americanos em Angola. 

Depois, Sullivan terá um encontro com a comunidade empresarial representada na Câmara de Comércio Estados Unidos/Angola (USAAC) e na Câmara Americana em Angola (AmCham-Angola).

Na sessão, o secretário de Estado Adjunto norte-americano falará aos membros da comunidade empresarial sobre a Estratégia da Administração para a África, sublinhando a importância de expandir os laços económicos e comerciais com base no respeito mútuo.

Na agenda provisória de Sullivan, que está em Angola desde a noite de Sábado, está previsto um encontro com o Presidente João Lourenço, mas que ainda não foi confirmado oficialmente.

No Sábado, Manuel Augusto indicou que Luanda aguarda com "ansiedade" a visita do secretário de Estado Adjunto norte-americano, realçando que permitirá aos dois países prosseguir o "diálogo estratégico" iniciado em setembro de 2018, quando ambos se encontraram na Assembleia Geral da ONU.

"A visita tem particular importância porque é a primeira que Sullivan efetua [na qualidade de governante dos Estados Unidos] ao continente africano", disse Manuel Augusto, lembrando que o secretário de Estado Adjunto esteve desde Terça-feira na África do Sul.

"Vamos tratar de questões no âmbito do nosso diálogo estratégico, que é uma plataforma pela qual os dois países discutem assuntos diversos, nomeadamente na área política e diplomática, dos direitos humanos, da energia e do comércio. É uma visita que aguardamos com alguma ansiedade, mas é sequência também de um encontro que tivemos em setembro na ONU", disse.

"Vamos dar continuidade ao diálogo iniciado nessa altura e acreditamos que, no fim da visita, as relações bilaterais sairão reforçadas, principalmente à luz da dinâmica do novo governo angolano, que tem merecido, publicamente, o apoio da administração norte-americana", concluiu.

Natural de Boston, Massachusetts, formado em Direito pela Universidade de Colúmbia e bacharel pela Universidade de Brown, Sullivan foi eleito pelo Senado norte-americano e prestou juramento como secretário de Estado Adjunto em 24 de maio de 2017. De 1 a 26 de Abril de 2018, exerceu interinamente o cargo de secretário de Estado.

Mais Lidas