Ver Angola

Tecnologia

Angolano cria robô capaz de medir temperatura e detectar uso de máscara

O angolano Lupossa Paulo André criou um robô que consegue medir a temperatura, disponibilizar álcool em gel e detectar se a pessoa está a usar máscara facial. Este robô tem como principal objectivo ajudar a combater a propagação da covid-19.

:

O robô, designado de "robô angolano", poderá ser colocado à entrada de estabelecimentos para medir a temperatura, disponibilizar álcool em gel e controlar o uso da máscara facial.

Composto por um corpo de plástico, dois braços, uma câmara e quatro rodas em cada perna, o robô tem um sensor na cabeça que consegue detectar a presença de humanos.

De acordo com o angolano, em declarações à Angop, o "robô angolano" foi desenvolvido à semelhança dos humanos, sendo assim capaz de fazer algumas perguntas, entre as quais "você esteve fora do país nos últimos três meses?" ou "entrou em contacto com alguém que apanhou o coronavírus?".

Esta máquina pode ser ligada a um computador, smartphone ou tablet para fornecer informações e, assim, ser criada uma base de dados. O robô funciona se estiver ligado a uma fonte de energia eléctrica, bateria ou outro tipo de fonte de energia.

Foram gastos cerca de 500 mil kwanzas para construir este aparelho. O robô começou a ser construído no ano passado, estando actualmente pronto para ser usado.

Lupossa Paulo André quer apresentar a sua criação ao país tendo em vista atrair patrocínios para aperfeiçoar o "robô angolano".

O criador admitiu ainda que esta máquina pode ser uma mais valia para o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP). A máquina pode ser ligada às câmaras do CISP, que se encontram na via pública, e assim identificar se os cidadãos estão ou não a usar máscara facial.

O angolano revelou que está a estabelecer contactos para que sejam incorporadas outras línguas nacionais no robô.

Lupossa Paulo André tem 27 anos, licenciou-se em electrónica industrial pela Faculdade de Cape Península University of Techonology da África do Sul. Também estudou até o segundo ano do curso de Electrotecnia na Universidade Agostinho Neto e terminou o ensino médio de Electrónica Industrial e Automação pelo Instituto Médio Industrial de Luanda.