Ver Angola

Sociedade

Polícia impede manifestação de jovens para exigirem alternância política

A polícia angolana impediu esta Quinta-feira uma manifestação de jovens activistas que pretendiam “exigir alternância política" em Angola, no Cemitério Santana, em Luanda.

:

No local há um grande dispositivo policial com vários meios, incluindo brigada canina e cavalaria, e foram erguidas barricadas de pneus incendiados nas estradas, com os serviços de bombeiros chamados a extinguir o fogo.

Os propósitos e motivações desta marcha, que devia culminar a 100 metros do palácio presidencial, foram apresentados esta semana em conferência de imprensa, em Luanda, por um grupo de jovens activistas da denominada Sociedade Civil Contestatária.

"45 Anos é muito, MPLA fora" é o lema da manifestação marcada para esta Quinta-feira, feriado nacional em Angola, em celebração do 60.º aniversário do Dia do Início da Luta de Libertação Nacional.

"Entendemos que 45 anos de governação é muito tempo e, ao longo desse tempo, o MPLA quase nada fez, antes pelo contrário, piorou, com várias assimetrias sociais, brindou o povo com assassínios em série, com desemprego, com uma saúde e educação deficitárias, com a corrupção e outros males", afirmou na Quarta-feira o activista e um dos organizadores da marcha, Geraldo Dala.

Segundo o activista, o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) "já não tem nada para dar para o país", considerando ser "um projecto político falhado em Angola cujo propósito dos seus dirigentes é apenas a manutenção no poder".

Geraldo Dala disse que esta é a segunda manifestação que o movimento organiza visando "despertar os angolanos" e, por outro lado, "mostrar que o povo quer alternância política", referindo que o protesto deve decorrer igualmente noutras províncias.

Os activistas concentraram-se às 10h00, no largo do cemitério da Santa Ana, e pretendiam marchar até perto do palácio presidencial, na Cidade Alta, em Luanda.

De acordo com activista, o governo da província de Luanda foi informado sobre esta marcha.

A manifestação foi marcada no mesmo dia do feriado nacional em Angola, 4 de Fevereiro, que vai ser assinalado oficialmente na província do Bengo numa cerimónia sob o lema: "Preservar e Honrar a Memória dos Heróis da Pátria Angolana".

Relacionado