Ver Angola

Energia

Eni eleva potencial do campo Agogo em 40 por cento para mil milhões de barris

A petrolífera Eni anunciou esta Quinta-feira que o campo Agogo-3, tem afinal mais 40 por cento de reservas do que anteriormente previsto, o que eleva o potencial de exploração para mil milhões de barris.

:

"A Eni perfurou com sucesso o Agogo-3, o segundo poço de avaliação da descoberta do Agogo no Bloco 15/06, no offshore [ao largo da costa] de Angola, aumentando em cerca de 40 por cento a estimativa de petróleo existente, que é agora de mil milhões de barris, com potencial adicional a ser testado no sector norte do campo", anunciou esta Quinta-feira a petrolífera.

Em comunicado enviado à Lusa, a petrolífera italiana acrescenta que "o poço Agogo-3 foi perfurado pelo navio de perfuração Libongos a 1,5 km a noroeste do poço Agogo-2 e a 4,5 km a noroeste do poço Agogo-1", precisando ainda que "o campo Agogo está localizado a aproximadamente 180 km da costa e a 23 km do Pólo Oeste (FPSO N'Goma), a uma profundidade de 1.700 metros e atingiu uma profundidade total medida de 4.321 metros".

Em meados de Janeiro, a Eni já tinha anunciado o início da exploração deste poço petrolífero, salientando na altura que tinha alcançado um fluxo de cerca de 10 mil barris de petróleo por dia.

Agora, a petrolífera italiana salienta que foi confirmada "a existência de um reservatório de petróleo carregado e conectado também neste sector abaixo de sal da megaestrutura Agogo" e que "os dados adquiridos indicam uma capacidade de produção superior a 15.000 barris de petróleo por dia".

Angola, conclui-se no comunicado, "desempenha um papel fundamental na estratégia de crescimento orgânico da Eni, presente no país desde 1980, com uma cota-produção actual de cerca de 140.000 barris de petróleo equivalente por dia; além do Bloco 15/06, a Eni opera actualmente o Bloco Cabinda Norte, localizado no onshore angolano, e aumentará as suas áreas de operação adicionando os Blocos 1/14 (bacia do baixo Congo), Cabinda Centro (onshore) e o Bloco 28 na bacia do Namibe".

A Eni Angola é operadora do Bloco 15/06 desde 2006, com uma participação de 36,84 por cento, sendo os outros parceiros a Sonangol, com 36,84 por cento, e a SSI Fifteen, com 26,32 por cento.