Ver Angola

Banca e Seguros

Banco espanhol Abanca compra 95 por cento do capital do Eurobic

O banco espanhol Abanca chegou a acordo para comprar 95 por cento do capital do português EuroBic, aguardando apenas as autorizações das autoridades regulatórias, anunciou a entidade bancária espanhola.

:

"O Abanca acordou a compra de 95 por cento das acções do EuroBic. O Banco de Portugal foi informado em detalhe dos termos da operação", revela o Abanca em comunicado à imprensa.

O banco espanhol já tinha assinalado na última semana o seu interesse na participação da empresária angolana Isabel dos Santos no EuroBic com a condição de ficar com uma participação de, no mínimo, 75 por cento.

De acordo com o Abanca, “a operação está condicionada a uma ‘due dilligence’”, um processo de busca de informação sobre uma empresa, neste caso o EuroBic, com o objetivo de valorizar e fixar de forma objetiva o preço final da operação.

O banco espanhol comprou em 2018, em Portugal, a unidade de banca de retalho do Deutsche Bank (DB PCB) e, em Espanha, à Caixa Geral de Depósitos a sua filial, o Banco Caixa Geral.

Depois de comprar o DB PCB, o Abanca tem atualmente em Portugal 70 agências, com 500 colaboradores e mais de 80.000 clientes.

Segundo a informação dada, este banco, que tem sede na Galiza, é a "sétima entidade" financeira espanhola por fundos próprios e o banco que "lidera no noroeste da Península Ibérica".

Ao todo tem “cerca de 800 agências” espalhadas por 12 países da Europa e continente americano e uma equipa formada por mais de 6000 profissionais.

No fecho de 2019, o resultado líquido do Abanca foi de 405 milhões de euros, mais 6,7% do que em 2018, com uma rentabilidade (ROE) que alcançou os 10 por cento.

O banco teve em 2019 um volume de negócio de 85.079 milhões de euros, 36.792 milhões em créditos e 48.286 milhões em recursos de clientes, com a taxa de incumprimento e a taxa de cobertura situarem-se nos 2,8 por cento e 57,5 por cento, respectivamente.

Em 22 de janeiro último foi anunciado que a empresária Isabel dos Santos iria abandonar a estrutura accionista do EuroBic, uma medida para “salvaguardar a confiança na instituição”, referia o banco, após a divulgação de documentos de uma investigação jornalística, num caso designado de 'Luanda Leaks'.

“Isabel dos Santos tomou a decisão de saída da estrutura acionista do EuroBic”, lê-se num comunicado do banco português, que justifica esta medida como estando no contexto “das diligências que têm vindo a ser promovidas pelo Conselho de Administração do EuroBic, com vista a salvaguardar a confiança na instituição”. 

Através de empresas a si ligadas, Isabel dos Santos era até agora accionista de 42,5 por cento do EuroBic, detendo a maior 'fatia' entre os detentores de participações sociais do banco fundado em 2008.