Coréon Dú sauda descriminalização da homossexualidade

O músico e filho do ex-presidente José Eduardo dos Santos, Coréon Dú, saudou esta Sexta-feira a descriminalização das relações entre pessoas do mesmo sexo em Angola, considerando que demonstra "sensibilidade social" e "maturidade cívica".
:
  

"Fiquei a saber que, pela primeira vez desde 1886, o código penal em Angola já não criminaliza as relações entre pessoas do mesmo sexo. Confesso que não tinha esperança de ver tal acontecimento ainda durante a minha vida", escreveu o músico, numa publicação na rede social Instagram.

Coréon Dú, nome artístico de José Eduardo Paulino dos Santos, assumiu publicamente, em Julho, a sua homossexualidade com uma publicação na mesma rede social, tornando-se numa das poucas figuras públicas angolanas assumidamente homossexuais.

"Homem 'gay' solteiro. O que os meus amigos pensam que faço; O que a minha mãe pensa que faço; O que o meu pai pensa que faço; O que a sociedade pensa que faço. O que eu penso que faço; E o que realmente faço", escreveu, na altura, o também designer e produtor de televisão, de 33 anos.

Aprovado a 23 de Janeiro pelo Parlamento, o novo Código Penal despenaliza as relações homossexuais no país, garantindo agora que ninguém pode ser penalizado por discriminação em razão da orientação sexual, medida já saudada pela Human Rights Watch (HRW).

Coréon Dú felicitou os parlamentares angolanos "por esta demonstração de sensibilidade social e de maturidade cívica", mas admitiu que a caminhada dos direitos dos homossexuais "ainda será muito longa".

"Tenho consciência que a caminhada ainda será muito longa para que comece a existir um diálogo equilibrado, educativo, aberto e sem tabus sobre assuntos ligados aos direitos sexuais e reprodutivos em Angola", adiantou.

O cantor homenageou também "todos os membros da sociedade que nunca deixaram de demonstrar que acreditam que todo o ser humano é digno e merecedor de respeito independente do seu género, orientação sexual, crença religiosa ou aparência física".

Mais Lidas