Ver Angola

Economia

Aposta na diversificação económica financia 500 novos projectos em 2022

A secretária de Estado para Economia, Dalva Ringote, revelou que dos 1022 projectos que viram 'luz verde' no ano passado, pelo menos 500 vão começar a ser financiados, a partir de 2022, no âmbito do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (Prodesi).

:

Ao falar no briefing do Ministério da Economia e Planeamento, Dalva Ringote esclareceu que o número de projectos a serem financiados - para já 500 -, poderá crescer, tendo em conta o número de propostas aprovadas.

Citada pela Angop, a secretária de Estado adiantou que o programa tem disponíveis 732.3 mil milhões de kwanzas em várias linhas de créditos, com vista a garantir o financiamento dos projectos. 

De acordo com a responsável, o Prodesi visa estimular a produção nacional e, por isso, os empresários devem tirar o maior proveito.

Dalva Ringote sublinhou que o acesso ao financiamento vai ser acompanhado de forma a assegurar que os recursos financeiros serão alocados aos projetos identificados.

A secretária de Estado adiantou que existe também a perspectiva de desembolsar uma segunda tranche de aproximadamente de dois mil milhões de kwanzas através do Fundo Activo de Capital de Risco Angolano (FACRA), direccionados para pequenas e médias empresas, empreendedores e operadores de micro-crédito, com a expectativa de financiar mais 1683 projetos, os mesmos de 2021, beneficiando sobretudo jovens e mulheres.

No que diz respeito ao acesso ao mercado interno, cadastraram-se este ano 35.241 no Portal da Divulgação da Produção Nacional, abaixo da meta inicial de 40 mil produtores, indicou a governante, acrescentando que deverá ser restruturada este ano a marca “Feito em Angola“ para dar maior visibilidade aos produtos nacionais.

Quanto ao Programa de Reconversão da Economia Informal (PREI), que foi lançado no Mercado do “30” em Luanda, e no âmbito do qual foram cadastradas em 2021 mais de 41.000 empresas individuais, incluindo vendedores de bancada, ambulantes e feirantes, o objectivo é expandir para as restantes províncias em Abril.

Na Quarta-feira, este programa, que visa aumentar a formalização da economia chega ao mercado da Sanzala (Viana) e na Quinta-feira será lançado no mercado do Kikolo (Cacuaco), ambos em Luanda.

Relacionado