Ver Angola

Economia

Nova nota de 5000 kwanzas entra em circulação a 4 de Fevereiro

A nova nota de 5000 kwanzas vai entrar em circulação na próxima Quinta-feira, 4 de Fevereiro, dia em que se celebra o Início da Luta Armada de Libertação Nacional. Esta nota estava prevista entrar em circulação no dia 1 de Janeiro, mas o Banco Nacional de Angola (BNA) decidiu alterar a data e homenagear os heróis do 4 de Fevereiro.

:

"O Banco Nacional de Angola lança a nota de 5000 kwanzas da nova Série 2020, no dia 4 de Fevereiro de 2021, assinalando a data de celebração do Início da Luta Armada de Libertação Nacional", revelou o BNA, num comunicado publicado no seu site.

Esta é a quinta nota a ser introduzida no mercado, depois de o processo de mudança da família de kwanzas ter começado em Julho do ano passado. A nova nota de 5000 kwanzas junta-se assim às notas de 200, 500, 1000 e 2000 kwanzas que já estão em circulação.

"Em tons de lilás, a nota de 5000 kwanzas da Série 2020 é produzida em substrato de algodão, contendo novos elementos de segurança, entre os quais uma marca de água, figura do 'Pensador', com projecção para ambos os lados da nota", indica o banco central.

A nota também "presta tributo ao Centro Histórico de M'Banza Kongo que foi classificado pela UNESCO como Património da Humanidade e onde se situa Kulumbimbi, ruínas daquela que é considerada a primeira igreja construída a sul do Sáara e que se destaca pela sua singular arquitectura".

Recorde-se que a nova família de kwanzas entrou em circulação no dia 30 de Julho de 2020, com o lançamento da nota de 200 kwanzas. Em Setembro, Outubro e Novembro foram introduzidas as notas de 500, 1000 e 2000 kwanzas, respectivamente.

Importa salientar que a entrada da nova série de kwanzas no mercado não invalida as notas antigas, que continuarão a ser aceites como forma de pagamento até 31 de Dezembro de 2021.

A partir de Janeiro de 2022, a família antiga de kwanzas deixa de ser aceite. Os angolanos têm até 2025 para proceder à troca das suas notas antigas. Essa troca deve ser feita nos bancos comerciais até Dezembro deste ano e nas instalações do BNA até 2025.

Relacionado