Banco Mundial prevê recuperação económica gradual do país

O Banco Mundial reviu em baixa a previsão de crescimento económico do país para 2018, estimando agora uma contracção de 1,8 por cento em vez de uma expansão de 1,6 por cento do Produto Interno Bruto (PIB). No entanto, espera que, após uma contracção significativa, Angola registe uma recuperação económica gradual.
Chi Le:
    Chi Le

A revisão, feita pelos peritos do Banco Mundial no relatório 'Perspectivas Económicas Globais", representa uma inversão de 3,5 pontos percentuais relativamente às previsões feitas há 12 meses atrás.

O relatório refere que Angola e também Guiné Equatorial registaram uma quebra no PIB devido ao declínio na produção de matérias-primas, no caso angolano do petróleo.

Países que dependem da exportação de matérias primas sofreram não só devido à queda dos preços, mas também da confiança dos investidores devido às "vulnerabilidades externas e condições domésticas frágeis", perfil que Angola partilha com a Argentina, África do Sul ou Nigéria.

No entanto, o Banco Mundial espera que, após uma contracção significativa, Angola, tal como a Argentina e o Irão, registem uma recuperação económica gradual.

Em Angola, o sector petrolífero deverá beneficiar do início de produção de novos blocos de exploração e também de reformas para melhorar o ambiente de negócios, indica a instituição.

As projecções económicas para Angola são mais optimistas para este ano, quando se espera um crescimento de 2,9 por cento do PIB, que deverá continuar a subir 2,6 por cento em 2020 e 2,8 por cento em 2021, mais 0,7 e 0,2 pontos percentuais do que as estimativas anteriores, indica o mesmo documento.

Espera-se que o crescimento regional atinja os 3,4 por cento em 2019 e uma média de 3,7 por cento em 2020-21, "dependendo da redução da incerteza política e mais investimento nas grandes economias, juntamente com um crescimento robusto contínuo em países com recursos não intensivos", pode ainda ler-se no documento.

Mais Lidas