Luanda: um milhão de metros quadrados de escritórios até 2016

A área para escritórios na cidade de Luanda cresceu 44 por cento em 2014, face ao ano anterior, devendo ultrapassar um milhão de metros quadrados até 2016, segundo levantamento realizado pela imobiliária Zenki Real Estate.
:
  

De acordo com o estudo, a que a Lusa teve acesso, a empresa angolana estima que o stock de escritórios na cidade de Luanda tenha atingido em Dezembro passado uma área bruta locável de 765 mil metros quadrados. O documento identifica que o segmento de escritórios em Angola "continua concentrado na grande Luanda". Esta, por sua vez, está dividida na área central da capital, entre a baixa da cidade, zona alta e praia do Bispo, e ainda na nova zona de Talatona, nos arredores.

Além do crescimento de 44 por cento face a 2013, o estudo da Zenki Real Estate, que actua em Angola desde 2009, prevê o aumento da área disponível para escritórios nos próximos dois anos, aproximando-se dos 880.000 metros quadrados até final de 2015 e ultrapassando 1.000.000 de metros quadrados no ano seguinte. "O maior crescimento previsto registar-se-á na baixa da cidade e em Talatona, devendo estas duas zonas representar 75 por cento do stock existente em Luanda no final de 2015", refere o estudo, que concentra a procura de escritórios na capital nas áreas do sector energético, financeiro e organismos públicos.

Ainda segundo as conclusões deste estudo, cada metro quadrado para escritórios chega a ser vendido, na baixa da cidade (a mais procurada), a 12.000 dólares, enquanto o aluguer pode chegar aos 160 dólares por mês. Em termos globais, os valores para arrendar um escritório em Luanda custaram menos 12,5 por cento, em termos médios, em 2014, tendo em conta o aumento da oferta. Os escritórios disponibilizados em Luanda distribuem-se por áreas de construção antiga, ainda do tempo colonial português, e por outras mais recentes, com vários arranha-céus em edificação.

A Zenki Real Estate, afiliada da CBRE, que por sua vez é líder mundial em serviços imobiliários e que está presente em 62 países, prevê ainda a abertura de quatro novos centros comerciais entre a cidade de Luanda e Talatona, num total de 178 mil metros quadrados de área bruta locável, distribuídos por mais de 320 lojas.

A província de Luanda concentra 6,5 milhões de habitantes, segundo dados do recenseamento da população angolana, realizado em 2014. O reforço da tributação do património é uma das vertentes identificadas pelo Governo angolano para incrementar as receitas fiscais do país, ainda concentradas na exportação de petróleo.

Mais Lidas