Ver Angola

Política

Engenheiro António Venâncio avança com candidatura à liderança do MPLA

Um dos quadros nacionais com maior destaque no sector da construção, António Venâncio, formalizou esta Quarta-feira, ao final do dia, a sua candidatura à liderança do partido no poder.

:

Em comunicado divulgado nas suas redes sociais, o engenheiro 'fala' aos angolanos no país e no estrangeiro dizendo que formalizou, junto da direcção do partido, a sua pretensão em candidatar-se ao cargo de presidente do MPLA.

"Estou disponível para prestar nos próximos dias toda a colaboração aos órgãos do partido, no sentido da conclusão do processo da candidatura em tempo útil", afirma António Venâncio. O agora candidato à liderança do partido, refere ainda que "o reforço da democracia interna prestigiará imenso o processo democrático angolano, visando o seu fortalecimento, o aceleramento das acções do desenvolvimento do país e a realização do homem angolano".

Despedindo-se com um "Viva Angola", o engenheiro conta já com alguns apoiantes nas redes sociais, estando a ser criada uma 'task force' para a sua campanha eleitoral.

“Estou há 48 anos no MPLA e reúno os requisitos. Tenho uma estratégia e uma visão para o país e acho que é altura de fazer chegar essa visão aos militantes e aos delegados (ao Congresso)”, disse à Lusa, realçando que “é altura de transformar o MPLA numa instituição mais prestigiada”.

António Venâncio quer uma “nova era” para o MPLA, com um partido democratizado que permita avançar também para um país mais democrático. “O MPLA tem tudo para liderar o processo de democratização do país dando um exemplo ao mundo”, destacou, acrescentando que é altura de os militantes fazerem valer os seus direitos estatuários.

António Venâncio é natural do Rangel, em Luanda. É mestre em Ciências Técnicas e professor em Fiscalização e Acompanhamento de Obras Públicas e Particulares. Formou-se em Kharkiv, na antiga União Soviética, em 1988. Até Janeiro de 2018 foi um dos principais assessores do Ministério da Construção.

Tem em currículo mais de 300 obras em todo o território nacional, tendo coordenado as obras do mausoléu no Memorial Dr. Agostinho Neto. Defende a construção de habitações sociais, mas é crítico do modelo das centralidades.

António Venâncio apresenta-se assim como o primeiro candidato a assumir a disputa da liderança do MPLA com João Lourenço. O destino do partido será traçado no próximo congresso, que acontece em Dezembro, numa altura em que falta menos de um ano para o país realizar eleições gerais.

Também Irene Neto, filha do primeiro presidente de Angola, Agostinho Neto, fez saber através de um comunicado que não fecha portas a um convite para apresentar uma moção de estratégia e uma lista à liderança do MPLA, embora não seja, neste momento, candidata.