Ver Angola

Educação

INAGBE paga os dez meses de subsídios em atraso aos bolseiros

Os bolseiros já começaram a receber os dez meses de subsídios que estavam em atraso. De acordo com o director-geral do Instituto Nacional de Gestão de Bolsas, Milton Chivela, o instituto iniciou o pagamento das bolsas no mês passado.

                                :

O responsável revelou que a dívida era referente a um total de dez meses. Também adiantou que o valor em atraso para com os bolseiros escolhidos do ano lectivo 2020/2021 rondava os 580 mil kwanzas para cada aluno a tirar licenciatura e um milhão de kwanzas para os bolseiros que estavam a fazer mestrado e doutoramento.

Em declarações ao Jornal de Angola, Milton Chivela indicou que a dívida "foi paga na totalidade", mas admitiu que "é possível que apareçam estudantes que não tenham sido pagos".

"Caso surjam, será um número menor, que será também resolvido", indicou.

O responsável também fez saber que o processo de renovação das bolsas já está aberto e vai manter-se em vigor até 16 de Novembro. Para procederem à renovação, os alunos devem aceder ao site do INAGBE, explicou, acrescentando que "o pagamento das bolsas referentes ao ano académico 2021/2022 só são aceites após esse processo".

Por essa razão, pediu aos alunos para serem céleres no processo de renovação, para assegurar que as subvenções são pagas atempadamente.

Fez ainda saber que os alunos bolseiros ao encargo do instituto estão a tirar formação em várias áreas enquadradas no Plano de Formação de Quadros e explicou que esse plano dá destaque às Engenharias, Ciências da Saúde, Literatura, Desporto, Arte, entre outros.

Esclareceu que "não estão impedidas bolsas para outras áreas, mas as prioritárias" são as acima destacadas.

Finalizou indicando que nenhum aluno foi expulso dos estabelecimentos de ensino por não terem pago as propinas, pois o instituto esteve em contacto com as escolas e explicou a situação.