Ver Angola

Saúde

Covid-19: Angola contabiliza 138 novas infecções e mais cinco mortes

O país registou 138 novos casos de covid-19 e cinco óbitos, atingindo o cumulativo de 5863 infecções e 206 mortes, informaram as autoridades sanitárias esta Quarta-feira.

:

Os dados avançados pela ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, indicam que nos casos registados nas últimas 24 horas – 78 do sexo masculino e 60 do sexo feminino, com idades entre 1 e 73 anos –, são 23 da província de Benguela, 18 da Huíla, dois do Zaire, dois do Cunene e 93 de Luanda.

Em relação aos mortos, a governante informou que são todos de nacionalidade angolana, sendo quatro notificados em Luanda e um em Benguela.

A ministra referiu que foram dados como recuperados, nas últimas 24 horas, 17 doentes – 11 em Luanda e seis em Benguela –, somando o país o total de 2615 recuperados, estando activos 3042 casos, dos quais 10 se encontram em estado crítico, 17 graves, 68 moderados, 350 leves e os restantes assintomáticos.

Em internamento encontram-se 553 doentes nos centros de tratamento.

No que se refere aos dados laboratoriais, nas últimas 24 horas foram processadas por RT-PCR 2720 amostras, das quais 138 positivas, totalizando 106.571 amostras, com 5863 positivas e as restantes negativas.

Sílvia Lutucuta disse que foram definidas escolas sentinelas, nas quais foi esta Quarta-feira iniciada a testagem aos alunos, dos quais alguns apresentaram resultados reactivos, que serão confirmados por testes RT-PCR.

A ministra chamou atenção a toda a população angolana que a covid-19 é altamente contagiosa e com manifestações clínicas muitas delas típicas e outras atípicas, exortando que não sejam "desvalorizadas de forma alguma qualquer quadro de febre, tosse, dificuldades respiratórias, diarreias, cansaço fácil e dores articulares".

"Manifestações clínicas que muitas vezes se confundem com outras doenças muito comuns no país como a malária, dengue, chicungunha, mas temos a covid e não devemos desvalorizar de forma alguma essas manifestações", disse.

A ministra acrescentou que a mesma reacção tem-se "notado nos profissionais de saúde, que apesar de terem o conhecimento destas manifestações clínicas não têm estado a valorizar muitas vezes os sintomas".

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e cinquenta e um mil mortos e mais de 35,8 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Relacionado