Ver Angola

Educação

ITEL lança plataforma virtual com laboratório digital e ensino à distância

O Instituto de Telecomunicações de Luanda (ITEL) apresentou esta Quinta-feira uma plataforma electrónica denominada AVITEL (Ambiente Virtual do ITEL) que compreende uma secretaria electrónica, um laboratório digital e uma plataforma de ensino à distância que já ministrou 120 tele-aulas.

: Ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem (Foto: Francisco Miudo/Angop)
Ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem (Foto: Francisco Miudo/Angop)  

Segundo o director geral do ITEL, André Pedro, a plataforma de ensino à distância será usada "essencialmente" por alunos impedidos de se descolarem para a escola, por várias razões, durante este período da covid-19.

"No próximo ano, vamos ter duas turmas no modelo completamente virtual, mas este ano já começámos com este modelo a 100 por cento. Na experiência-piloto, que começámos em 19 de Março, já tivemos cerca de 120 tele-aulas ministradas neste modelo experimental", disse.

A secretaria electrónica dispõe de toda a documentação de ingresso e dos alunos que já concluíram o curso na instituição, enquanto o laboratório digital é composto por um dispositivo com animação em 3D com realidade aumentada.

As aulas no ensino geral, sobretudo para classes de transição, e no subsistema de ensino privado recomeçaram na passada Segunda-feira, depois de seis meses de paralisação devido à covid-19, e as autoridades contemplam neste retorno aulas semi-presenciais.

Em declarações aos jornalistas na cerimónia de apresentação dos dispositivos, o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, congratulou-se com a iniciativa do ITEL, afirmando que a instituição tem servido de "mola impulsionadora" para colocar no mercado quadros técnicos médios na área das telecomunicações.

"Neste sentido, entendemos que, dadas as contingências do momento, era preciso acelerar uma modernização que permitisse que o ITEL continuasse a atender os seus objectivos de levar o conhecimento aos seus estudantes", disse.

As "valências" da AVITEL deverão ser replicadas noutras escolas do país.

Questionado sobre as dificuldades de Internet para o acesso à plataforma, o ministro reconheceu ser esta "uma preocupação" que as autoridades têm "vindo a trabalhar para que o país tenha acesso, cada vez mais, aos serviços de Internet".

"Temos um programa de banda larga que estamos a implementar com o objectivo de melhorar a acessibilidade da Internet pelo país e, de facto, devemos cada vez mais criar condições de acessibilidade às zonas rurais", afirmou.

"E a construção do satélite permitirá alargar esse acesso da Internet às diferentes comunidades", rematou.

Angola lançou um primeiro satélite de telecomunicações, Angosat-1, em Dezembro de 2017, que se perdeu no espaço após o lançamento.

O Angosat-2, que vai substituir a primeira versão, actualmente em construção, deve ser lançado em 2022.

Relacionado