Ver Angola

Banca e Seguros

Parceria entre BFA e American Express torna cartões americanos válidos em Angola

Uma parceria entre o Banco Fomento Angola (BFA) e a American Express permitiu validar a aceitação destes cartões em Angola. Com a assinatura do acordo, celebrado esta semana, os cartões americanos passam a ser aceites nos terminais de pagamento automático (TPA) do BFA – que se tornou no primeiro banco angolano a aceitar os cartões americanos.

: Platinaline
Platinaline  

De acordo com um comunicado publicado no Jornal de Angola e citado pela Angop, o BFA passa, a partir de agora a possibilitar "que os seus clientes empresas adiram ao serviço de aceitação de pagamentos com cartões American Express nos seus TPA da rede do BFA, contribuindo para o potencial desenvolvimento dos seus negócios".

Segundo a nota, esta aposta vai ajudar a estimular a realização de transacções nos estabelecimentos dos comerciantes do BFA.

"Qualquer empresa com TPA-BFA, ou que pretenda instalar um, poderá incluir os cartões American Express no sue leque de meios de pagamento", pode ler-se na nota.

Nelson Correia, director de marketing do BFA sublinhou que o acordo vai permitir fomentar o crescimento dos negócios e das actividades do BFA bem com ajudar os clientes estrangeiros a efectuarem pagamentos através do cartão.

Já Vivi Galani, vice-presidente e General Manager, Global Network Partnerships EMEA para a American Express, fez saber que a empresa americana está entusiasmada para trabalhar com o BFA e continuar a afirmar a sua presença no continente africano.

"Estamos entusiasmados em colaborar com o BFA para continuar a expandir a nossa presença em África. Sendo parceiros dos bancos e instituições financeiras de referência a nível mundial, damos o forte contributo da rede American Express aos utilizadores do cartão e comerciantes, possibilitando a aceitação dos nossos cartões nos TPA-BFA", disse.

Esta validação vai permitir aos clientes American Express ter acesso a uma "maior variedade de locais para usar os seus cartões", oferecendo ainda aos comerciantes angolanos "a oportunidade de captar mais negócio dos clientes que visitam o país".