Conferência sobre segurança marítima arranca quinta-feira em Luanda

A capital acolhe a partir de quarta-feira a Conferência Internacional sobre Segurança Marítima e Energética (CISME), reunião que visa incentivar a partilha de informações entre os países sobre o tema.
<a href='http://www.angolaimagebank.com' target='_blank'>Angola Image Bank</a>:
    Angola Image Bank

A conferência, segundo um comunicado de imprensa do Ministério das Relações Exteriores de Angola divulgado hoje, é co-organizada pelos Estados Unidos da América e a Itália, e vai contar com participantes provenientes da Europa, América, África, Ásia e Oceânia.

O evento, que conta com a participação de cerca de 600 delegados de 60 países, visa ainda da como objectivos examinar e recomendar próximos passos importantes para desenvolver a capacidade e uma execução holística das estratégias de segurança marítima africana.

A sessão de abertura está agendada para quinta-feira, 8 de Outubro, e contará com uma intervenção do Presidente José Eduardo dos Santos. A conferência termina a 9 de Outubro e pretende ainda adoptar a "Declaração de Luanda sobre Segurança Marítima e Energética", que deverá reflectir além da posição do Governo angolano o sentimento e opiniões dos países participantes.

Na nota de imprensa, o Ministério das Relações Exteriores de Angola acrescenta que o titular da pasta, Georges Chikoti, e coordenador da comissão responsável pela preparação da conferência, destacou que a mesma vai contribuir para os esforços regionais sobre segurança marítima, permitindo maior coordenação e cooperação na matéria, com benefício para todos os países.

Está prevista a realização de quatro painéis durante a conferência, nos quais vão ser discutidos os temas "Protecção das Plataformas Petrolíferas: Perspectivas Globais, Nacionais e do Sector Privado, o "Domínio do Espaço Marítimo Angolano: Enquadramento Institucional e Plano de Acção Sectorial, "Respostas à Insegurança Marítima: Formação, Papel da Inteligência, Exercícios e Operações Conjuntas" e "Respostas à Insegurança Marítima: Enquadramento Jurídico e Coordenação Inter-regional".

Mais Lidas