Ver Angola

Ambiente

Presidente anuncia parceria com americana African Parks para gestão de parques naturais

O país iniciou uma ronda de negociações com a empresa americana African Parks para firmarem uma parceria púbico-privada para a co-gestão e desenvolvimento dos parques naturais do Luengue-Luiana e Mavinga.

:

A informação foi avançada esta Terça-feira pelo Presidente, João Lourenço, durante o seu discurso na Gala Anual da Fundação Internacional para a Conservação do Ambiente (ICCF), que teve lugar em Washington, Estados Unidos da América.

"Angola iniciou com a African Parks negociações para uma parceria público-privada para a co-gestão de longo prazo e desenvolvimento dos parques naturais de Luengue-Luiana e Mavinga, localizados no sudeste de Angola, que formam um corredor de ligação a outras zonas protegidas da região transfronteiriça protegida do Okavango-Zambeze", afirmou.

O chefe de Estado considerou que aquela região "é a última fronteira selvagem no Sul de África que compreende rios e lagos que abastecem o Delta do Okavango, no Botswana, e habitats naturais críticos para migração das maiores populações de elefantes restantes em África, e que começam a regressar para Angola, vindos da Namíbia, do Botswana, e da Zâmbia".

Referiu que a empresa americana "trará financiamento e experiência técnica necessárias para conservar e administrar essas vastas áreas que estão sob crescente ameaça de desmatamento, fogo e caça furtiva".

Adiantou ainda que a parceria irá funcionar como uma "umbrela, debaixo da qual actuarão" alguns parceiros internacionais e locais, "como a Panthera, a Acadir, a DBDS, sendo estes os que nos prestam apoio na preservação dos felinos e das comunidades que ali se encontram".

João Lourenço aproveitou a ocasião para agradecer à Panthera pela criação de guardas comunitários que trabalham para preservar a vida selvagem e humana no Parque Nacional de Luengue-Luiana.

"Acreditamos também que a Fundação dos Parques da Paz, de que Angola é membro, continuará a apoiar o Secretariado Executivo do Projecto Okavango - Zambeze, e de implementar, no futuro, acções em parceria, no formato que pretendemos", adiantou.

João Lourenço anunciou que Angola vai ser o terceiro signatário do Protocolo contra o Tráfico Ilícito de Espécies da Flora e Fauna Selvagens, acrescentando que "Angola e outros Estados signatários comprometem-se a adoptar legislação adequada que tipifica como crime o tráfico ilícito de vida selvagem e partes de animais selvagens".

Referiu ainda que o Governo de Angola e várias agências internacionais, tais como a USAID, Fundo Global para o Ambiente e a Conservation International, estão a trabalhar para assegurar "o apoio técnico e financeiro para estabelecer programas de protecção dos eco-sistemas e do ambiente no geral, criando ao mesmo tempo emprego para as comunidades locais".

Além do anúncio da parceria com a African Parks, durante a passagem da delegação angolana por Washington, o Ministério da Energia e Águas e a americana SUN África rubricaram um acordo de investimento.

Pode ler o discurso do Presidente na íntegra aqui.

Relacionado