Ver Angola

Transportes

TAAG vai dar prioridade aos passageiros com bilhetes

A partir do dia 14 desde mês, a TAAG retoma os voos interprovinciais. A companhia vai dar primazia aos passageiros portadores de bilhetes, de forma a facilitar as deslocações dos cidadãos.

:

O ministro dos Transportes, Ricardo D'Abreu, explicou que a retoma dos voos interprovinciais não é sinónimo do "reinício da actividade comercial da companhia". Contudo, é uma medida que vem "facilitar os cidadãos residentes em Luanda, porém retidos em outros pontos do país, e vice-versa", completou, citado pela Angop.

O responsável, que falava na conferência de imprensa sobre as novas medidas adoptadas esta Terça-feira pelo Executivo no âmbito do prolongamento do estado de calamidade, afirmou que só os passageiros que possuam os bilhetes é que terão o privilégio de se deslocar.

A medida também abrange os cidadãos que trabalham em qualquer uma das províncias em que a TAAG opera e têm de se deslocar. Contudo, explicou, para que possam embarcar, os passageiros devem comprar o bilhete.

Os passageiros terão ainda de realizar o teste à covid-19 antes de embarcar, adiantou o ministro.

Sobre os voos internacionais, que regressam no dia 21 deste mês, o titular da pasta dos Transportes revelou que terão prioridade os angolanos, estrangeiros residentes em Angola e titulares de visto de trabalho que desejam regressar ao país.

Estes passageiros também terão de realizar o teste à covid-19 antes do embarque, podendo fazê-lo 72 horas antes dos voos nos hospitais indicados para o efeito.

"Diferente dos voos humanitários que vimos realizando desde Março, por ocasião do início da cerca sanitária no país, com essas operações estaremos a retomar gradualmente a actividade aeronáutica, não implicando a retomada total e regular dos voos comerciais", adiantou.

Com as novas medidas, os passageiros deixam assim de precisar de uma autorização por parte das autoridades nacionais para se deslocarem, ficando apenas sujeitos ao cumprimento dos procedimentos impostos nesta nova fase de situação de calamidade.

Depois de chegarem ao destino pretendido os passageiros devem cumprir a devida quarentena domiciliar. Quanto aos testes, estes serão comparticipados pelos cidadãos, refere a Angop.

Relacionado