Seleccionador nacional fala em “missão cumprida” após vitória à Gâmbia

O treinador português Pedro Gonçalves, seleccionador interino da selecção nacional de futebol, considerou que o triunfo de 2-1 diante da congénere da Gâmbia foi fruto de "inteligência e serenidade" dos jogadores, referindo que a missão "foi cumprida".
:
  

Os ‘palancas negras" venceram, no Estádio 11 de Novembro, em Luanda, a selecção gambiana, em jogo da segunda mão das preliminares de acesso à fase de grupos africana de apuramento para o Mundial de 2022, no Qatar, depois da vitória fora por 1-0.

“Uma falha nossa permitiu que a Gâmbia igualasse, mas conseguimos reagir e manter a serenidade. Demos a resposta e aí julgo que quebrámos a motivação da Gâmbia, que, ainda assim, lutou. No cômputo geral, estou muito satisfeito, é missão cumprida e agora a selecção está na fase de grupos”, disse.

Os golos angolanos foram apontados por Geraldo, dos egípcios do Al-Ahly, aos 41 minutos, e Fábio Abreu, do Moreirense, aos 68 minutos, enquanto, pelo meio, aos 66, os ‘escorpiões' facturaram por intermédio de Assah Cersay.

Por seu lado, o secretário de Estado dos Desportos, Carlos Almeida, também aplaudiu a qualificação, referindo que a vitória é fruto de um trabalho de equipa. “Gostei da equipa, conseguiu-se perceber que o trabalho feito pela equipa técnica surtiu efeito. O entrosamento foi visível e, quando assim é, a equipa vale pelo seu todo. É uma vitória bem conseguida, que coloca Angola na fase de grupos", afirmou.

Ainda segundo o governante, e antigo ‘capitão’ da selecção de basquetebol, o que resta agora é "preparar os próximos compromissos e esperar” que a selecção faça “uma boa campanha” e consiga marcar “presença no campeonato do mundo”.

Angola marcou presença pela primeira e única vez na fase final de um campeonato do mundo de futebol em 2006, na Alemanha, sob o comando do angolano Oliveira Gonçalves.

No Grupo D, os angolanos acabaram no terceiro lugar, com dois pontos, ao empatarem com México (0-0) e Irão (1-1), depois de uma derrota tangencial face a Portugal (1-0), num embate decidido com um golo de Pauleta, logo aos quatro minutos.

O tento angolano foi apontado por Flávio Amado, que entrou aos 51 minutos, para o lugar de Akwá, e marcou aos 60. Os iranianos chegariam à igualdade aos 75.

Mais Lidas