Recolhidas em Portugal 30 toneladas de bens para populações afectadas pela seca no Cunene

Quarenta organizações angolanas recolheram em pouco mais de um mês, em Portugal, 30 toneladas de bens para ajudar as populações afectadas pela seca na região do Cunene, disse um dos elementos de coordenação da campanha.
Carlos César:
    Carlos César

"A recolha de bens termina hoje, mas só amanhã encerramos oficialmente a campanha, com a selagem do contentor, que acompanharemos e que está previsto chegar a Angola a 24 de Setembro", afirmou, em declarações à Lusa, Ivaniltan Jones, uma das responsáveis da comissão criada para coordenar a operação, cujo resultado já leva os organizadores a pensar noutra acção, desta vez para a província do Kuando Kubango.

"Avaliaremos durante a nossa ida a Angola, com as autoridades locais, a possibilidade de levar a cabo uma outra campanha, mas de apoio à zona do Kuando Kubango", detalhou.

Segundo Ivaniltan Jones, a acção destas 40 associações e organizações eclesiásticas foi "uma resposta da diáspora angolana às necessidades de quem vive no país" e teve uma adesão "muito positiva da sociedade civil em Portugal”, por isso também é possível pensar em novas acções, admitiu.

Entre os bens que agora vão ser enviados para a região do Cunene, contam-se roupas, sapatos e brinquedos, mas também livros, referiu a responsável da comissão.

A recolha decorreu entre 1 de Agosto e 10 de Setembro.

Mais Lidas