Ver Angola

Cultura

Associação cultural defende sistema de segurança social para os artistas

Kizua Gourgel, porta-voz da Associação Angolana dos Profissionais e Promotores de Eventos e Cultura, reforçou a necessidade de existir no país um sistema de segurança social para artistas. O músico recordou que muitos destes, especialmente os que se encontram em final de carreira, estão desamparados e em dificuldades.

: Media Rumo
Media Rumo  

As declarações foram feitas na sequência da primeira iniciativa do projecto "Por Angola", que visa apoiar artistas nacionais afectados pelo contexto económico desafiante provocado pela pandemia de covid-19.

Filipe Mukenga foi o homenageado do show, intitulado "Vida e Obra de Filipe Mukenga", que contou com convidados como Sandra Cordeiro, Anabela Aya, Agre Ge, Gilmário Vemba e os irmãos Alves.

Citado pelo VOA, o porta-voz da organização afirmou que o projecto nasceu de uma discussão sobre as dificuldades que os artistas angolanos atravessam actualmente e foi decidido escolher Mukenga para representar todos os artistas que passam por um período mais difícil.

No entanto, Gourgel acredita que este tipo de dificuldades não poderão ser resolvidas individualmente: "Temos que criar estruturas para que os artistas possam pagar segurança social e depois requerer a ela quando há questões de invalidez ou reforma", afirmou. " Pode haver um sistema justo e funcional de segurança social para os artistas", acrescentou.

O porta-voz da APPEC referiu ainda a necessidade de um mercado musical "mais coeso, mais profissional e mais seguro".

Relacionado