Ver Angola

Comércio

Cidade da China com prejuízos estimados de cerca de mil milhões de kwanzas devido à covid-19

A Cidade da China, complexo comercial de Luanda, deverá registar em 2020 prejuízos de cerca de mil milhões de kwanzas desde o início da covid-19 no país, anunciou esta Segunda-feira o presidente da instituição, Jack Huang.

: Ampe Rogério/Lusa
Ampe Rogério/Lusa  

O complexo comercial, localizado no município de Viana, já reaberto, esteve sob cerca sanitária entre 21 e 25 de Julho após notificar dois casos positivos da covid-19 em cidadãos chineses.

Segundo o presidente do conselho de administração da Cidade da China, que falava esta Segunda-feira em conferência de imprensa, os prejuízos continuam a ser contabilizados, mas acredita na retoma das actividades.

A Cidade da China conta com mais de 300 lojas, sob gestão de angolanos, chineses, norte-americanos, portugueses, indianos, turcos, libaneses, entre outras.

O responsável garantiu que, desde o surgimento da pandemia em Angola, o centro comercial sempre priorizou a saúde pública e segurança dos mais de 4000 trabalhadores angolanos e respondeu activamente às orientações das autoridades.

"E continuamente reforçou os recursos na prevenção e combate e, mesmo em dificuldades, a Cidade da China salvaguardou todos os postos de trabalho dos angolanos e continua a pagar os salários a tempo", assegurou.

Após registar os dois casos positivos da covid-19, a gestão do complexo comercial, frequentado diariamente por milhares de pessoas, impôs rigorosas medidas de controlo dos clientes e viaturas que ali acorrem.

Sem avançar o montante, Jack Huang disse que a superfície comercial criou um fundo especial de prevenção e combate à pandemia para apoiar o Governo nas acções de prevenção à covid-19, tendo já apoiado várias instituições públicas.

O fundo especial beneficiou a administração municipal de Viana, os governos das províncias de Luanda e do Cuanza Norte, o Serviço de Migração e Estrangeiros, o comando da polícia de Viana e a Comissão Multissectorial de Prevenção e Combate à covid-19.

Na ocasião, a administração da Cidade da China procedeu à entrega mil sacos de farinha de milho à administração municipal para ajudar as pessoas mais carenciadas e o montante de 5 milhões de kwanzas.

À direcção municipal da Saúde foi entregue o valor de 1,2 milhões de kwanzas e um kit composto por 5 mil máscaras faciais.

Por seu lado, o director municipal da Saúde de Viana, Abreu Tondesso, deu conta que aquele município, um dos mais populosos de Luanda, registou até ao momento 84 casos positivos da covid-19 e as acções de prevenção e combate ao vírus "continuam em curso".

A Cidade da China já investiu mais de 200 milhões de dólares em Angola.

Relacionado