Ver Angola

Energia

Apenas quatro empresas nacionais se apresentaram como operadoras para os blocos nas Bacias do Congo e Kwanza

Das 13 empresas nacionais que concorreram à licitação dos blocos terrestres nas Bacias do Baixo Congo e Kwanza, apenas quatro se apresentaram como operadoras. Em causa estão a Somoil, a Simples Oil, a Tusker Energy e a Mineral One.

:

A Somoil concorreu como operadora para dois blocos, querendo ter metade (50 por cento) da participação nos blocos.

De acordo com o Expansão, apenas duas empresas estrangeiras ultrapassaram a oferta da Somoil. É o caso da americana Inthank Oil, que concorreu para o bloco 1 na Bacia do Congo, e da canadiana MTI Energy, que apresentou propostas para oito blocos como operadora.

Além da Somoil, também a Simple Oil, que pertence a Alberto Mendes, filho do antigo governador do Bengo Isalino Mendes, apresentou propostas como operadora.

A lista das quatro empresas angolanas a apresentarem-se como operadoras é completada pela Tusker Energy – pertencente a dois angolanos que são filhos de Paul Laker, um sul-africano que vive há vários anos em Angola e opera no sector petrolífero – e pela Mineral One – uma sociedade anónima.

Recorde-se que o concurso internacional de licitação dos nove blocos das bacias terrestres do Baixo Congo e Kwanza recebeu um total de 16 propostas, das quais 13 foram de empresas nacionais.

Relacionado