Ver Angola

Política

Novo representante das Nações Unidas em Angola alerta para impacto “muito grande” da covid-19 no país

O novo representante residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em Angola afirmou esta Terça-feira que o impacto social e económico da covid-19 no país é “muito grande, tanto para as empresas como para as famílias”.

: Edo Stork, novo representante residente do PNUD em Angola, com Teté António, ministro de Relações Exteriores
Edo Stork, novo representante residente do PNUD em Angola, com Teté António, ministro de Relações Exteriores  

Edo Stork falava em Luanda, onde esta Terça-feira entregou ao ministro de Relações Exteriores, Teté António, as Cartas Credenciais deste novo representante residente do PNUD em Angola, assinadas por Achim Steiner, administrador global do programa.

"Reconheço que cheguei num momento difícil, mas Angola, nos últimos seis meses, tem feito enormes esforços para conter a propagação e circulação da covid-19 no país", afirmou o holandês que, antes desta missão, era o representante residente adjunto do PNUD no Peru.

Segundo uma nota do PNUD em Angola, Edo Stork louvou a aplicação do estado de emergência e do estado de calamidade neste país, mas advertiu: "Temos que reconhecer que o impacto social e económico da covid-19 é muito grande, tanto para as empresas como para as famílias".

"Vamos colocar o desenvolvimento, a inovação e a tecnologia ao serviço da sustentabilidade", afirmou.

E acrescentou: "A comunidade internacional vai trabalhar de forma estreita com o Governo angolano e a sociedade civil do país para garantir que ninguém é deixado para trás".

Mestre em informática, com uma especialização em inteligência artificial, Edo Stork tem experiência em diversas áreas como avaliação de desenvolvimento, desenvolvimento de liderança e gestão de projectos, desenvolvimento de estratégias, liderança e desenvolvimento das Nações Unidas, ética, padrões internacionais de contabilidade do sector público, segurança das Nações Unidas, género e desenvolvimento, VIH/sida, entre outras.

Anteriormente a esta missão, Edo Stork era o representante residente adjunto do PNUD no Peru (2016- Maio 2020), nas Honduras (2012-2015) e Trinidad e Tobago (2008-2012).

Entre 2005 a 2008 desempenhou as funções de especialista sénior de programas na sede do PNUD, em Nova Iorque, e, antes, de facilitador principal no Escritório das Nações Unidas para Serviços de Projectos (UNOPS), na Papua Nova Guiné, em 2004.