Ver Angola

Comércio

Biocom produziu 50 mil toneladas de açúcar em três meses

Três meses depois de a campanha agrícola deste ano ter arrancado, a Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom) já produziu 50 mil toneladas de açúcar, mais 8000 toneladas quando comparado com o mesmo período do ano passado.

:

Ricardo Guerra, director de Operações Agro-Industriais da Biocom revelou que, desde Abril – mês em que a campanha 2020 arrancou –, também já foram produzidos 7000 metros cúbicos de etanol.

O responsável, citado pela Angop, indicou que a empresa estima durante os próximos três meses produzir mais 65 mil toneladas de açúcar e 11 mil metros cúbicos de etanol.

Feitas as contas, a Biocom deverá produzir um total de 115 mil toneladas de açúcar – mais 100 mil relativamente ao período homólogo do ano passado – e 18 mil metros cúbicos de etanol – mais 6 mil do que no mesmo período de 2019.

Segundo o responsável, a empresa espera com a produção deste ano dar resposta a 35 por cento da necessidade de consumo de açúcar do país (300 mil toneladas por ano), poupando assim cerca de 110 milhões de dólares aos bolsos do Estado, que em 2019 gastou cerca de 100 milhões com a importação deste produto.

Indicando que a empresa tem já 22.500 hectares de cana-de-açúcar em colheita, o responsável disse ainda que estão a ser empacotados entre 15 e 16 mil sacos de 50 quilos por dia de açúcar.

Já o coordenador da Segurança Patrimonial para Indústria da empresa, Jorge Raposo, revelou que a Biocom sofreu prejuízos na ordem dos 250 milhões de kwanzas depois de queimadas anárquicas, iniciadas por caçadores da região, terem destruído 846 hectares de cana-de-açúcar no mês passado.

A Biocom fica localizada no Pólo Agro-industrial de Capanda, no município de Cacuso, emprega 3000 pessoas e prevê até 2025, atingir uma produção de 256 mil toneladas de açúcar.