Ver Angola

Sociedade

Grua do Prenda removida. Quarenta anos depois, moradores respiram de alívio

Depois de quarenta anos à espera, os moradores do distrito urbano da Maianga podem finalmente respirar de alívio. A Grua do Prenda, que devido ao seu estado frágil estava na iminência de ruir, foi finalmente desmontada e removida. A grua foi retirada do local esta Quinta-feira pela Gruest – Angola.

:

Com cerca de 100 metros de comprimento e duas toneladas de peso, a Grua do Prenda foi uma grande ajuda durante a construção das casas daquela zona. No entanto, com o passar dos anos, a estrutura começou a ficar corroída, tornando-se num perigo para os moradores.

De acordo com a Angop, em Junho de 2018 a estrutura metálica chegou mesmo a pregar um susto às 92 famílias que moram naquele distrito: ventos fortes, com cerca de 30 quilómetros por hora, abanaram a grua tendo causado vários danos.

Esse sinal fez soar os alarmes do Governo Provincial de Luanda, que decidiu criar uma comissão técnica para tratar do processo de retirada da grua. As tentativas foram algumas, mas o sucesso chegou dois anos depois da comissão ter sido criada.

Para que a grua pudesse ser desmontada, tiveram de ser deitadas abaixo oito casas. A operação demorou cinco dias e, tendo em conta que as famílias não podiam lá estar durante o processo, o Governo Provincial de Luanda atribuiu 120 mil kwanzas a cada família para arrendarem uma casa, provisoriamente.

Todo o processo, de acordo com a Angop, custou ao governo provincial cerca de 50 milhões de kwanzas.

Os moradores dizem-se aliviados. Olímpia Raposo, que mora naquele distrito há mais de 20 anos, referiu que os residentes quase não dormiam "temendo que a grua caísse". Já Maria de Fátima, também moradora na Maianga, contou que havia momentos em que a estrutura metálica abanava com o vento deixando os moradores muito preocupados e receosos.

Sérgio Luther Rescova, governador da província de Luanda, disse que o governo vai continuar a trabalhar com a comissão para que as casas que foram demolidas durante este processo voltem a ser reconstruídas.

Galeria