Ver Angola

Saúde

Covid-19: Portugal contribui com mais de um milhão para resposta humanitária na CPLP

Portugal contribuiu com um milhão e 80 mil euros para o Plano Global de Resposta Humanitária à covid-19, lançado pela Organização das Nações Unidas (ONU), informou esta Quinta-feira, em comunicado, a embaixada portuguesa em Moçambique.

:

A contribuição foi consignada no âmbito do apoio a Estados-membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e Timor-Leste, referiu a nota da representação diplomática portuguesa em Maputo.

Além de outras medidas de apoio nos países de língua portuguesa, na luta contra a pandemia provocada pelo novo coronavírus, Portugal contribuiu com “um milhão e oitenta mil euros para o Plano Global de Resposta Humanitária à Covid-19, consignados aos países da CPLP e Timor Leste".

Deste contributo financeiro para o plano lançado pela ONU, assim como para outras acções complementares, “500 mil euros serão destinados directamente à Organização Mundial da Saúde (OMS)".

"Este contributo apoiará igualmente o trabalho desenvolvido por outras agências das Nações Unidas”, nomeadamente a Organização Internacional para as Migrações (OIM), Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e Programa Alimentar Mundial (PAM), “bem como o Comité Internacional da Cruz Vermelha”, adiantou a nota.

A criação de uma linha "específica para co-financiamento de projectos de organizações não-governamentais de desenvolvimento [ONGD] na área humanitária", sobretudo nos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa), é outra das medidas apontadas no documento.

"Foi criada uma nova Linha de co-financiamento de projectos de ONGD, no âmbito da pandemia da covid-19, no valor global de 750 mil euros, que irá apoiar o trabalho destas organizações, sobretudo nos PALOP, com foco nos sectores da saúde e socio-económico”, acrescentou o comunicado.

Além destas medidas, também foi efectuada uma re-orientação da Linha de Co-financiamento de ONGD 2020, através do reforço "com um envelope financeiro de 1,8 milhões de euros, destinadas aos PALOP", que dará prioridade aos projectos de combate à pandemia de covid-19 nesses países.