Nações Unidas pressionam Angola sobre acordo de livre comércio e elogiam reformas

A Comissão Económica para África das Nações Unidas (UNECA) pressionou o Governo a aderir ao tratado de livre comércio no continente, elogiando as iniciativas lançadas pelo Executivo e prometendo apoio nas reformas.
:
  

"Esperamos que Angola seja parte da comunidade de nações africanas que já terão ratificado o acordo quando nos encontrarmos em Julho", na cimeira da União Africana, disse a diretora da ECA, Vera Songwe, no final de uma visita a Luanda, na qual elogiou as reformas lançadas e prometeu apoio para estas alterações em curso.

De acordo com um comunicado divulgado pela UNECA, a diretora executiva desta agência das Nações Unidas para África, Vera Songwe, disse que o acordo de comércio livre em África (AfCFTA, na sigla em inglês) é uma oportunidade de investimento que vai permitir a Angola construir uma economia diversificada e competitiva e que o país devia usar esta oportunidade para acelerar o programa de diversificação económica a nível horizontal e vertical.

Durante os últimos dias, Vera Songwe manteve encontros com o Presidente da República e com os ministros angolanos das Finanças e do Comércio, prometendo aumentar o apoio em quatro áreas.

"As áreas principais de acordo para a cooperação incluem o apoio a Angola na recuperação da estabilidade macroeconómica e diversificação da economia, as melhorias da gestão da dívida pública, o aumento da percentagem de energias renováveis no mix energético do país e a capitalização das oportunidades do acordo de livre comércio em África", lê-se num comunicado divulgado pela UNECA.

"A UNECA está pronta para trabalhar consigo nos seus esforços para melhorar a mobilização interna de recursos, a gestão da dívida e a ajuda ao setor privado", disse Vera Songwe a João Lourenço, no final de um encontro entre ambos, em Luanda.

Mais Lidas