Ver Angola

Política

PR empossa ministros e elogia “modéstia” dos que passam a secretários de Estado

O Presidente da República, que deu esta Quarta-feira posse a novos governantes, elogiou alguns dos antigos ministros que aceitaram passar a secretários de Estado, no quadro da fusão de alguns ministérios, destacando o exemplo deste gesto “de modéstia”.

:

O chefe de Estado discursava no Palácio Presidencial em Luanda, na cerimónia de tomada de posse do novo Governo, remodelado Segunda-feira, na sequência da redução do número de ministérios, que passaram de 28 para 21 órgãos ministeriais.

"Gostaria de aproveitar esta oportunidade para, muito sinceramente, reconhecer o gesto de simplicidade, de modéstia, que alguns, que até há poucos dias desempenharam as funções de ministros em diferentes pastas, aceitaram o convite para, praticamente no mesmo ministério, onde foram ministros, desempenharem a função de secretários de Estado", disse João Lourenço.

Entre estes contam-se os ex-ministros Nuno Caldas Albino, Ana Paula Carvalho, Maria da Piedade de Jesus e Paula Coelho que tutelavam, respectivamente, a Comunicação Social, o Ordenamento do Território, a Cultura e o Ambiente, e vão agora assumir secretarias de Estado nas mesmas áreas.

Para o chefe de Estado , o exemplo destes governantes "deve ser tido em devida conta" conhecendo-se a "cultura política" do país.

"Devo confessar que, quando orientei que fossem feitas as consultas, não esperava obter respostas positivas. Fui surpreendido e isso é de louvar, porque todos nós conhecemos a nossa cultura política", destacou.

O chefe de Estado divulgou, na Segunda-feira, a lista dos novos membros do executivo, na qual se destaca a saída de Manuel Augusto, das Relações Exteriores, substituído pelo seu secretário de Estado, Tete António.

Da longa lista de exonerações divulgada pela Casa Civil da Presidência constam 17 ministros e 24 secretários de Estado, bem como o secretário do Presidente da República para os Assuntos Políticos, Constitucionais e Parlamentares e o diretor do Gabinete de Acção Psicológica e informação da Casa de Segurança do Presidente da República.

Em declarações à comunicação social, a nova ministra da Cultura, Turismo e Ambiente, Adjany Costa, afirmou que tem a possibilidade de dar uma visão externa ao executivo, "tendo a experiência de campo e a experiência técnica".

Adjany Costa, de 30 anos, a mais nova ministra do Governo de Angola referiu ainda que pretende integrar "tanto a parte decisiva como a parte aplicativa", integrando diferentes componentes do mesmo ministério.

"Não consigo fazer nada sequer sem ter que absorver a experiência de todo o mundo que já lá trabalha e de todo o mundo que não trabalha, mas que integra as políticas criadas pelo ministério", referiu.

Relacionado