Ver Angola

Imobiliário

Prazo para pagar casa poderá ser alargado

O pagamento das rendas das casas das centralidades do país poderá vir a ser alargado. A informação foi avançada por Adilson silva, administrador do Fundo de Fomento Habitacional, que explicou que o processo de uniformização do pagamento das propriedades já se encontra a ser implementado.

:

As propriedades apresentam estruturas diferentes e por essa razão os preços praticados também são diferentes. No entanto, Adilson Silva sublinhou que o prazo do pagamento pode ser alargado para que os preços passem a ser todos iguais, admitindo que esse processo já se encontra em execução.

"Desse modo, o que e vai fazer é uniformizar o período de pagamento, passando de 15 a 20 anos, para 30 anos", afirmou ao Jornal de Angola.

Esta uniformização, de acordo com o responsável, tem como objectivo ajudar as famílias a pagar as rendas.

"Não houve alteração dos preços das casas, os prazos de pagamento é que foram alargados. O Estado fez questão de não prejudicar o cidadão, partindo do princípio que as mudanças económicas não são da sua responsabilidade", explicou.

O administrador do Fundo Fomento Habitacional fez ainda saber que se está a tentar encontrar os moradores que ainda não pagaram a renda: "As pessoas vão ser sensibilizadas para a regularização dos créditos. Depois deste período, os cidadãos que não pagarem poderão perder o imóvel", avisou.

No entanto, apelou aos moradores que têm mais dificuldades a se dirigir até um posto de atendimento para "explicar a situação e negociar com o fundo uma modalidade adequada", uma vez que o fundo não exige que seja o proprietário a pagar a renda.

A despesa pode ser liquidada por um familiar: "Essas facilidades surgem em função das contrariedades da vida. A pessoa pode ter perdido o emprego ao longo desse tempo. Então, são dadas aos beneficiários várias opções, que podem passar pela inclusão de um novo responsável financeiro. A intenção é não partir para a cobrança coerciva, nem fazer despejos".

Por fim, o responsável pediu ainda a quem tem feito os pagamentos de forma regular a consultar o seu histórico de pagamentos. "Existem pessoas que são descontadas mensalmente, mas os comprovativos não são reconhecidos". Ou seja, a transferência é feita, mas pode não ser confirmada e, por isso, o melhor é ir até um posto "pelo menos uma vez por ano" para regularizar a situação.