Ver Angola

Economia

PREI concede 29 milhões de kwanzas e crédito

O Programa de Reconversão da Economia Informal (PREI) registou, na última semana, 18 novos pedidos de crédito no valor total de 56 milhões de kwanzas.

:

Das solicitações recebidas, nove candidatos receberam um financiamento no valor de 29 milhões de kwanzas, refere um comunicado do Governo a que o VerAngola teve acesso.

Deste montante, 12,5 milhões de kwanzas serão aplicados no sector de processamento alimentar, 8,5 milhões no sector de produtos e serviços da cadeia do agronegócio, 7,5 milhões no ramo da logística e distribuição de produtos agroalimentares e de pesca e 500 mil na área de produção cultural e artística.

No âmbito do Programa de Alívio Económico, desde a operacionalização da linha de financiamento de micro-crédito, foram já registados 1924 pedidos no valor aproximado de 4,5 mil milhões de kwanzas.

O stock desta linha de financiamento situa-se nos 1,5 mil milhões de kwanzas e já permitiu a formalização de 678 micro e pequenas empresas.

Até ao final de 2022, a meta prevista no Plano de Desenvolvimento Nacional é a de atingir 2000 micro-empreendedores.

Para este ano, o objectivo passa pela formalização de 750 micro-empreendedores, incluindo os 428 integrados nesse processo.

Quanto às actividades relacionadas com o PRODESI, foram entregues aos promotores, na última semana, 10 certidões de não devedores pelo Instituto Nacional de Segurança Social, no âmbito do serviço de melhoria do ambiente de negócios.

Em relação ao serviço de apoio no acesso ao crédito, continuam na banca 130 projectos por aprovar. No geral, desde 2019, os instrumentos e produtos financeiros ao dispor do PRODESI viabilizaram a aprovação de 745 projectos, com a perspectiva de gerar 46 mil postos de trabalho. Os projectos aprovados ascendem a um valor aproximado de 492,5 mil milhões de kwanzas.

No que toca à distribuição sectorial dos projectos aprovados, a agricultura destaca-se com 347, comércio e distribuição com 215, indústria transformadora com 104, pecuária com 30, aquicultura com 24, pesca marítima com 20 e pesca continental com cinco.

Na distribuição dos projectos aprovados por província, Luanda lidera com 157, Huambo conta com 58, Benguela 56, Huíla 46, Cuanza Sul 43, Bengo 39, Bié 38, Uíge 36, Cuando Cubango 32, Cunene 30, Namibe 29, Lunda Sul 29, Malanje 28, Cabinda 28, Zaire 26, Lunda Norte 25, Cuanza Norte 23 e Moxico 22.
No Portal de Divulgação da Produção Nacional (PPN), actualmente com um registo de 10.500 produtores nacionais, prossegue a inscrição de outros interessados.