Ver Angola

Saúde

Administrador da Sonangol é um dos infectados em Angola

O administrador da Sonangol, Osvaldo Macaia, é um dos dois primeiros casos de infecção por coronavirus em Angola, disse esta Sábado à Lusa uma fonte da petrolífera estatal.

:

A ministra da Saúde de Angola, Silvia Lutucuta, anunciou este Sábado que existem dois casos positivos de infecção pelo novo corovírus causador da pandemia da Covid-19, tratando-se ambos de cidadãos angolanos provenientes de Portugal.

Entre estes, conta-se Osvaldo Macaia de 38 anos, administrador da Sonangol, que chegou ao aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, no dia 17 de Março, proveniente de Lisboa.

Segundo a mesma fonte, o responsável da Sonangol foi rastreado no aeroporto e "cumpriu todos os procedimentos", ficando em quarentena domiciliar.

"Accionámos o protocolo e foram criadas condições para fazer o teste, que deu positivo", adiantou.

Osvaldo Macaia só começou a apresentar os primeiros sintomas 24 horas após a sua chegada.

A transferência do administrador da Sonangol para a unidade onde se encontra actualmente sob observação, a Clínica Girassol em Luanda, foi coordenada por elementos do Ministério da Saúde.

Na conferência de imprensa que deu no Sábado, a ministra Sílvia Lutucuta disse que estão a ser dadas as instruções sanitárias necessárias para mitigar a epidemia e apelou para que a população, sobretudo os viajantes que cheguem de países com circulação comunitária do vírus, cumpram a quarentena obrigatória, que considerou "uma prioridade fundamental".

Lembrou que, nos últimos dias, chegaram a Angola viajantes que vieram de Portugal - Lisboa e Porto - a quem foi dada a possibilidade de fazer quarentena domiciliária, apelando para quem saiba de alguém que tenha viajado recentemente para as áreas afectadas e não esteja a cumprir o isolamento denuncie a situação para o número 111.

"Não haverá contemplações, estas pessoas serão levadas para os centros de quarentena institucional", sublinhou, garantindo que vai ser aumentada a capacidade de rastreio destes pacientes.

Sílvia Lutucuta lembrou ainda que haverá voos adicionais provenientes de Lisboa e do Porto e disse que o Governo está a preparar condições para fazer quarentena institucional dos passageiros, garantindo que vão ser criadas as condições imediatas nos centros.

Relacionado