Ver Angola

Lazer

Graciano Leirivan: “Ser um digital influencer em Angola é algo muito bom porque o público é muito caloroso”

Graciano Leirivan tem 21 anos e está a tirar o curso de Ciências da Comunicação na Faculdade Autónoma de Lisboa. O angolano descobriu a paixão pelo mundo digital numa aula de informática. Começou a consumir Youtube e desde então soube que aquilo que queria fazer era ser digital influencer. O trabalho árduo vingou: Graciano tem actualmente 17,4 mil subscritores no Youtube e no Instagram o número ronda os 16 mil seguidores. O VerAngola esteve à conversa com o digital influencer para perceber como funciona o seu dia-a-dia.

:

Fale-nos um pouco de si. Quem é o Graciano Leirivan?

O Graciano Leirivan é um jovem de 21 anos muito sonhador e batalhador. O que mais me move como criador de conteúdos é o facto de sonhar tanto e querer alcançar cada vez mais e mais. Sou estudante da Faculdade Autónoma de Lisboa no curso de Ciências da Comunicação.

Quando e como surgiu a ideia de trabalhar com as redes sociais? Sempre quis ser um digital influencer? Houve algum ou alguns digital influencers que lhe despertaram a paixão pela profissão?

A ideia de trabalhar com a influência digital surgiu em 2016 numa aula de informática. Os meus colegas estavam sempre a comentar sobre vários youtubers que eu desconhecia. Por ouvir sempre nomes estranhos com tanta frequência decidi perguntar quem eram e desde aí acompanhei o trabalho desses youtubers. E assim nasceu uma grande vontade de caminhar pelo mesmo rumo que eles.

Claro que houve youtubers que despertaram a minha paixão, não me posso esquecer do grande Felipe Neto que foi o primeiro youtuber que eu comecei a acompanhar. Ele foi a principal causa de acompanhar esta plataforma com bastante frequência.

Como funcionam os bastidores do seu trabalho? No fundo explique-nos como gere o seu tempo, a parceria com as marcas, como funciona o processo criativo dos conteúdos que produz, entre outros.

Ultimamente confesso que não tem sido assim tão difícil gerir o tempo, pois fiz um paragem no YouTube e estou mais dedicado à universidade e à minha família. Mas aproveito para dizer que em breve vou começar a postar com mais regularidade.

Quanto a parceiras com marcas, já recebi várias propostas mas foram recusadas porque simplesmente não eram bem apresentadas. Por ser uma pessoa bem organizada e perfeccionista (às vezes) senti-me na posição de recusar. E fica aqui uma dica para quem quiser apresentar uma proposta no futuro: a apresentação e a clareza das palavras é tudo!

Tem seguidores de todo o mundo ou a comunidade é apenas de Angola?

De todo mundo não digo mas posso dizer que em todos os países em que se fala a língua portuguesa tenho pessoas que me assistem. É claro que nuns com percentagens superiores a outras, notando uma maior concentração claramente em Angola por ser a minha terra.

Como é ser um digital influencer angolano? É reconhecido em público?

Ser um digital influencer em Angola é algo muito bom porque o público é muito caloroso. Sou inúmeras vezes abordado em público tanto em Angola como em Portugal que são os sítios em que mais tenho audiência. É sempre muito bom ser reconhecido pelas pessoas que acompanham o meu trabalho. Recebo abraços, pedidos de fotos e agradecimentos até mesmo por eu existir. É gratificante, os meus fãs e seguidores são um máximo!

Conte-nos uma história caricata que já lhe tenha acontecido tanto na preparação do seu trabalho ou num encontro com um fã.

Vou contar das duas, mas tenho muitas. Uma vez estava a gravar um vídeo muito longo, em que precisava de muita concentração e preparação. Depois de já ter falado tanta coisa, fui rever as gravações e não encontrei nada, ou seja, a câmara não estava a filmar. Fiquei mesmo fraco e chateado e fui dormir.

Quanto a encontros com fãs, das muitas histórias que tenho posso contar uma das mais recentes que foram 3 ou 4 fãs que me deixaram numa posição bastante estranha a mandarem bocas em relação ao tamanho do meu rabo e no final houve mesmo uma que foi tocar no meu rabo e depois fugiu. Podia até dramatizar a cena e falar de assédio mas deixei passar e considerei o facto de estarem extremamente alcoolizadas.

Actualmente quais são os seus digital influencers preferidos?

Actualmente os meus digital influencers favoritos são a Mirian Alvarenga, o Elison Bartolomeu e o meu grande amigo Mauro Silva e digo que são os meus favoritos não pela amizade que tenho com eles mas sim pela sua determinação e trabalho árduo.

Quanto a trabalhos futuros, o que podemos ver este ano da sua parte? Alguma surpresa para 2020?

De momento eu posso dizer que estou prestes a dar um passo enorme na minha carreira, que começou com uma ideia pequena que foi partilhada com outras pessoas e mais uma porta se abriu. Quero dizer a quem acompanha o meu trabalho, que 2020 será um ano preenchido de trabalho e muitas boas coisas!