Ver Angola

Energia

Produção petrolífera cresceu para 1,39 milhões de barris por dia em Fevereiro

O país produziu 1,39 milhões de barris de petróleo por dia em Fevereiro, mais 15.000 face a Janeiro, segundo o relatório mensal da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) divulgado esta Quarta-feira.

:

Os valores publicados, com base em dados de fontes secundárias, registam um crescimento na produção diária durante o segundo mês do ano, depois de este valor ter diminuído em 23.000 barris de Dezembro de 2019 para Janeiro de 2020.

Angola manteve a posição de segundo maior produtor africano de crude na OPEP, atrás da Nigéria.

A Nigéria, líder africana na produção petrolífera, viu a sua produção diária crescer para 1,789 milhões de barris por dia, um aumento de 29 mil barris face aos 1,760 milhões de barris de Janeiro.

Durante praticamente todo o ano de 2016 e até maio de 2017, Angola liderou a produção de petróleo em África, posição que perdeu desde então para a Nigéria.

A produção na Nigéria foi condicionada, entre 2015 e 2016, por ataques terroristas, grupos armados e instabilidade política interna.

O mais recente relatório da OPEP refere também que, em termos de "comunicações directas" à organização, Angola terá produzido 1,387 milhões de barris por dia em Fevereiro, menos 27.000 barris por dia que no mês anterior.

Os números obtidos através de "comunicações directas" contrariam assim o aumento na produção que consta nos números obtidos pela OPEP junto de fontes secundárias, embora estes valores estejam próximos.

Os dados de fontes oficiais nigerianas presentes no relatório apontam para um aumento de quatro mil barris por dia em Fevereiro, para 1,742 milhões.

Os membros da OPEP e os seus parceiros, incluindo a Rússia, tinham anunciado uma diminuição adicional da produção de petróleo em pelo menos 500.000 barris por dia, numa estratégia para sustentar os preços.

As expectativas da organização e seus aliados foram, entretanto, goradas devido à desaceleração económica mundial motivada pela epidemia provocada pelo coronavírus, que levaram a OPEP a rever em forte baixa a previsão de crescimento da procura mundial de petróleo.

No relatório mensal sobre o mercado do petróleo divulgado esta Quarta-feira em Viena, a OPEP estimou, a partir de agora, uma expansão da procura de 60.000 barris por dia e sublinha que, "tendo em conta os últimos acontecimentos, os riscos de deterioração mais do que compensam os indicadores positivos e deixam antecipar mais amplas revisões em baixa do crescimento da procura".

Até agora, a OPEP apontava para um acréscimo da procura de 990.000 barris por dia em 2020.

Assim, a estimativa da procura global de petróleo em 2020 é a partir de agora de 99,73 milhões de barris por dia, com um consumo acrescido no segundo semestre face ao primeiro. Estas estimativas partem do princípio de que a actividade económica se vai normalizar até ao quarto trimestre.