Ver Angola

Cultura

Igrejas querem suspender missas com mais de 200 fiéis

O Conselho de Igrejas Cristãs em Angola (CICA) exortou esta Quinta-feira os líderes religiosos a suspenderem todas missas e/ou cultos que congreguem mais de 200 fiéis, defendendo "actividades sectorizadas" que observem "rigorosamente" regras de higiene devido à Covid-19.

:

Em nota pastoral apresentada em conferência de imprensa, o CICA observa que, enquanto durar a crise provocada pela pandemia de Covid-19, os pastores devem usar todos os meios tecnológicos ao seu alcance para manter a assistência espiritual e moral aos fiéis.

Angola, sem registo de casos confirmados do novo coronavírus, que causa a doença Covid-19, reforçou as medidas de prevenção e de vigilância epidemiológica, sobretudo nos 32 pontos de entrada catalogados a nível do país.

Entre várias medidas de precaução, as autoridades angolanas proibiram a realização de actividades públicas com mais de 200 pessoas.

O CICA, que pede "momentos de intercessão" pelas pessoas afectadas e expostas ao risco de contágio à Covid-19 em todo o mundo, encoraja todas as denominações cristãs do país a "observarem com rigor" as medidas de higienização.

A "higiene pessoal é de extrema importância", pelo que, observa, todas as igrejas (paróquias e congregações) "devem criar condições para a lavagem das mãos com água corrente e sabão e desinfestantes, sempre que possível".

A organização de igrejas em Angola exorta igualmente os fiéis a "evitarem abraços, beijos e contacto físico durante a saudação" bem como o uso coletivo de meios e materiais, como "cálices e microfones", durante as celebrações.

"Exortamos ainda a liderança religiosa e aos fiéis, em geral, a suspensão de todas as atividades que implicam viagens internacionais a partir de hoje", lê-se na nota.