Ver Angola

Economia

Angola Investe será revisto para incluir novos sectores e mecanismos de financiamento

O Executivo angolano e o Instituto Nacional de Apoio às Pequenas e Médias Empresas estão empenhados em reavaliar as metas do programa Angola Investe no que diz respeito à criação de empresas e de empregos, tendo em conta as perspectivas do impacto do programa no PIB e nas receitas ficais. Assim, o Angola Investe deverá incluir novos mecanismos de financiamento, como o leasing, e ser alargado ao sector social.

Grupo Amop:

Num período em que o país necessita de mais e melhores projectos, tendo em conta a redução da dependência petrolífera, Samora Kitumba, administrador do INAPEM destaca as virtudes do programa Angola Investe, em entrevista ao Expansão. De acordo com o responsável, um dos pontos mais positivos prende-se com o apoio ao crédito às empresas.

O administrador esclareceu que a sua instituição e o Governo estão neste momento a reavaliar a criação de novas empresas, número de empregos criados, e contribuição das micro, pequenas e médias empresas no PIB e nas receitas fiscais. Revelou ainda que o programa poderá ser reforçado em termos de mecanismos de crédito e também nos sectores nos quais incide. Coloca-se então a introdução do leasing: “A inclusão do leasing é uma alternativa de financiamento que está ser estudada e representa um dos desafios do programa para 2015", refere Samora Kitumba ao mesmo órgão, sublinhando que esta possibilidade poderá ser implementada ainda este ano.

"Esta medida justifica-se pela possibilidade que dá aos promotores de adquirirem equipamentos sem terem de os pagar integralmente à partida” explica o responsável, dizendo ainda que "no leasing, o pagamento é feito sob a forma de renda mensal, com opção de aquisição pelo seu valor residual no final do tempo determinado". A medida deverá então “impedir que as PME sejam obrigadas a fazer um esforço financeiro elevado logo no início”.

A indústria transformadora, geologia e minas são os maiores beneficiários dos financiamentos, no entanto, nota-se um esforço de diversificação do Angola Investe a outros sectores, tais como o comércio. O responsável afirma que este é um esforço que deverá ser continuado, estando a ser estudada a possibilidade de serem incluídos sectores adstritos à vertente social.