Ver Angola

Economia

Angola Investe com balanço positivo e vontade de continuar apoio ao empreendedorismo

O Ministério da Economia organizou recentemente um encontro de apresentação do balanço anual do Programa Angola Investe, cujo evento contou com a presença de vários ministros angolanos e de vários PCA’s de bancos e de entidades públicas angolanas.

:

O Programa Angola Investe é uma iniciativa do Executivo angolano que visa promover a concessão de crédito bonificado, por parte dos bancos comerciais, às Micro, Pequenas e Médias Empresas e também aos Médios Empreendedores Singulares. O Angola Investe procura apoiar no acesso ao crédito, qualificar os recursos humanos, desburocratizar os processos, incentivar à produção nacional, e apoiar a sociedade no desenvolvimento do seu próprio negócio.

“Esta iniciativa, em paralelo com o programa 'Feito em Angola', tem alcançado um peso cada vez maior e conta, actualmente, com 63 empresas aderentes e com cerca de 494 produtos 'Feito em Angola', refere Abraão Gourgel, ministro da Economia, em comunicado remetido ao VerAngola.

Agostinho Kapaia, Presidente da CEEIA, presente no evento, refere que, “é de exaltar a iniciativa do Executivo angolano em criar programas de apoio ao empreendedorismo como forma de potencializar a dinamização da economia nacional de forma abrangente aos vários sectores de actividade. A CEEIA está disponível para colaborar com a promoção do Angola Investe como forma de apoiar o crescimento dos empresários nacionais para que criem o seu próprio negócio e de modo a que, num futuro próximo, também possam levar além-fronteiras os seus produtos e serviços com a sigla 'Feito em Angola'”.

O Programa Angola Investe tem permitido a melhoria significativa das condições para fomentar o empreendedorismo nacional. Permitiu reduzir os custos de constituição das sociedades, impulsionar a actividade de cooperativismo, promover a rede nacional de incubadoras, desburocratizar os processos de constituição de novas empresas, e desenvolver processos de simplificação de licenciamento das actividades, no sentido em que contribui para a diversificação económica e proporciona mais oportunidades de investimento para no mercado empresarial.

O ministro da Economia acrescentou ainda que “este programa já permitiu a criação de cerca de 54 mil postos de trabalho, distribuídos por 17 províncias do país onde está a ser implementado”. Referiu também que esta iniciativa tem um grande peso no fomento da actividade económica e pode significar mais emprego e riqueza para o país. “Em 2014 foram aprovados mais de 360 financiamentos e 2015 servirá para afirmar este projecto de apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas”, acrescenta.

O encontro foi organizado pelo Ministério da Economia e contou com a presença do ministro da Economia, Abraão Gourgel, ministra da Indústria, Bernarda Martins, ministra das Pescas, Victória Baptista, Secretário Nacional da Hotelaria, Paulino Baptista e presidentes de bancos e de instituições públicas, como Agostinho Kapaia, Presidente da CEEIA.