Ver Angola

Telecomunicações

Africell quer criar mais de 6000 empregos com a sua chegada ao país

A Africell, uma operadora de telecomunicações americana, prevê criar mais de 6000 empregos em Angola. A promessa foi deixada durante a cerimónia de assinatura do contrato de concessão para prestação de serviço de comunicações electrónicas, firmado esta Quarta-feira entre a operadora e o Instituto Angolano das Comunicações (INACOM).

:

Ziad Dalloul, presidente da comissão executiva da Africell, aproveitou a ocasião para afirmar que a entrada da operadora no mercado angolano – prevista para o terceiro trimestre deste ano, com um valor de 300 milhões de dólares – vai trazer ao país serviços mais rápidos e de qualidade a preços baixos.

Apoiando a tese do responsável da Africell, Alé Fernandes, presidente do conselho de administração (PCA) da INACOM, indicou que espera que a entrada desta operadora no país faça aumentar a qualidade do sector das telecomunicações.

Citado pela Angop, o PCA da INACOM prevê que a concorrência do sector venha a crescer, devido ao aumento da qualidade dos produtos e serviços e da oferta de preços atractivos para a população.

A entrada da Africell vai colocar o sector numa nova fase de desenvolvimento e, segundo o responsável da INACOM, vai ajudar a construir redes de nova geração e facilitar o acesso universal a serviços de telefone e internet.

Fez ainda saber que o Governo está a reforçar a atribuição de licenças multisserviços, porque considera importante dar continuidade à estratégia de abertura do mercado bem como fomentar a expansão das infra-estruturas e prestação de serviços.

Já o secretário de Estado para as Telecomunicações, Mário Augusto da Silva Oliveira, admitiu que a entrada desta operadora no mercado nacional representa um grande marco para o sector, escreve a Angop.

Considerando que a Africell vai ajudar a resolver alguns dos problemas de comunicação da população, revelou que o Governo tem como objectivo melhorar o sector das telecomunicações e assim garantir a comunicação por rede móvel a preços mais acessíveis.

Entre a lista de objectivos do Executivo está a criação de condições de acesso geral à internet, o combate à info-exclusão e o aumento da literacia digital.

Para isso, o Executivo pretende garantir o desenvolvimento das infra-estruturas que suportam a oferta destes serviços, indicou.

Também a embaixadora dos Estados Unidos da América (EUA) em Angola, Nina Maria Fite, que esteve presente na cerimónia, revelou que este é um grande investimento, por parte dos EUA, fora do sector do petróleo.

"É um grande investimento fora do sector petrolífero, o que mostra como está a crescer o investimento americano em Angola", afirmou.

O Grupo Africell formalizou esta Quarta-feira o contrato com o Governo para se tornar na quarta operadora global de telecomunicações e começar a oferecer serviços ainda este ano. Angola é o quinto mercado onde o Grupo Africell vai ter operações, juntando-se ao Uganda, Serra Leoa, Gâmbia e República Democrática do Congo, onde já tem uma base de 12 milhões de clientes.

Relacionado