Ver Angola

Lazer

Irina Madaleno: “A área artística com que trabalho chega a ocupar quase cinco horas do meu dia”

Com apenas 21 anos, Irina Madaleno já é uma referência no mundo digital. O número de seguidores é surpreendente: no instagram tem 15,8 mil seguidores e no youtube os subscritores ultrapassam a marca dos quatro mil (4,47 mil). Com presença assídua nas redes sociais, Irina Madaleno conquista o coração dos fãs com as maquilhagens ousadas e artísticas que faz. O VerAngola esteve à conversa com a digital influencer para perceber como funcionam os bastidores de quem escolheu a vida digital para profissão.

:

Fale-nos um pouco de si. Quem é a Irina Madaleno?

Bem se formos falar de mim em relação aos meus dados menos "profundos", tenho 21 anos, estou no meu último ano de licenciatura em Gestão de Marketing no IPAM, em relação à minha descrição e acerca de quem sou, eu diria que sou uma pessoa bastante sonhadora, determinada, positiva e bastante ambiciosa!

Quando e como surgiu a ideia de trabalhar com as redes sociais? Sempre quis ser uma digital influencer? Houve algum ou alguns digital influencers que lhe despertaram a paixão pela profissão?

Muitos dos influencers que de certa forma influenciaram o meu início nas redes sociais são pessoas de vários países, de diferentes personalidades e também diferentes conteúdos. Em relação ao início da minha maquilhagem artística, uma beauty influencer que definitivamente despertou o meu interesse pela área foi a Korena Rebecca. Em termos de personalidade e de demonstrar mais aquilo que sou sem ter qualquer tipo de vergonha foi o Bretman Rock.

Como funcionam os bastidores do seu trabalho? No fundo explique-nos como gere o seu tempo, a parceria com as marcas, como funciona o processo criativo dos conteúdos que produz, entre outros.

É um processo muito complicado de gerir por vezes, porque para além de dar o meu melhor e gastar muito tempo na minha arte, eu também tenho de ter um grande foco na minha licenciatura e no meu trabalho de makeup artist para as minhas clientes. Acho que às vezes a minha estratégia é organizar o tempo que tenho para cada actividade no meu calendário, visto que a área artística com que trabalho leva bastante tempo do meu dia: chega a ocupar quase cinco horas do meu dia.

Quanto à criação de conteúdo para marcas é algo que eu não cheguei ainda a ter muita experiência porque ainda não tive suficientes parcerias para ter um processo linear de criação. No entanto, dos poucos que fiz, é algo que por mais pequeno que seja eu dou o meu 110 por cento e dedico-me completamente ao trabalho que me foi solicitado!

O processo de criação do que eu faço é algo muito baseado no que vejo, utilizo redes sociais como o Instagram e o Pinterest para visualizar certas ideias que tenho, tento também encontrar certas artes (pinturas, desenhos) com que eu me identifique e possa posteriormente reproduzir em mim de uma forma diferente.

Tem seguidores de todo o mundo ou a comunidade é apenas de Angola?

Tenho seguidores de todo o mundo. É algo que me deixa muito feliz, porque apesar de eu ser bastante feliz com o meu público angolano, a "internacionalização" do meu público é algo que eu tenho bastante interesse! Não gosto de qualquer tipo de barreiras e acho que por vezes o idioma acaba por ser uma limitação muito grande na comunicação e compreensão entre mim e o meu público, por isso é que muitas das vezes eu abordo certos temas em inglês, porque tenho consciência que o meu público não contém apenas pessoas de língua portuguesa.

Como é ser uma digital influencer angolana? É reconhecida em público?

Sinceramente por vezes é algo um tanto tóxico, embora eu seja muito grata pelo carinho vindo da maior parte das pessoas, existe também um ambiente bastante tóxico nas redes sociais que por vezes faz com que a pessoa questione muito de si mesmo e da sua própria arte, então eu diria que tem o seu lado bom e o seu lado mau!

Sou reconhecida em público, o que sinceramente me deixa, por vezes, super constrangida mas num bom sentido!

Conte-nos uma história caricata que já lhe tenha acontecido tanto na preparação do seu trabalho ou num encontro com um fã.

Não tenho imensas histórias, mas uma que definitivamente me marcou pela positiva foi uma vez eu estava numa loja de roupa e estava absolutamente nas nuvens porque tinha acabado de sair uma colecção de uma das minhas cantoras preferidas. Eu estava tão feliz e tão distraída a olhar para as roupas que ia pegando e pegando para ver se ainda havia o meu tamanho. Ao mesmo tempo uma menina pega na mesma peça de roupa que eu e ela olha para a minha cara e, com uma expressão de choque e sem palavras, perguntou-me se era mesmo eu, respondi que sim e ela ficou super feliz e pediu-me uma fotografia, elogiou bastante o meu trabalho, pediu-me um abraço e agradeceu. Foi um dos melhores dias para mim porque nunca tinha sentido algo igual!

Actualmente quais são os seus digital influencers preferidos?

Bretman Rock, Jackie Aina, Nikita Dragun, entre outros.

Quanto a trabalhos futuros, o que podemos ver este ano da sua parte? Alguma surpresa para 2020?

Tenho muitos projectos para o ano de 2020, começando por investir em mais conteúdo tanto na minha página de arte como a de serviço e como sempre teremos o tão amado mês de Halloween este ano que estou ansiosa para que comece embora falte bastante tempo! Acho que será um ano de mudança e definitivamente de crescimento em todos os departamentos da minha vida!

Galeria