Angola promete controlo e fiscalização para garantir novos financiamentos do Brasil

O Governo manifestou esta Sexta-feira o interesse em estabelecer com o Brasil novos mecanismos financeiros de controlo, fiscalização e aplicação dos fundos atribuídos para o desenvolvimento de projectos, conferindo à cooperação entre os dois países um carácter pragmático.
:
  

A posição foi transmitida pelo ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, na abertura das conversações com o seu homólogo brasileiro, Aloysio Nunes, que chegou esta Sexta-feira a Luanda para uma visita para reforço da cooperação bilateral.

Na sua intervenção, Manuel Augusto destacou igualmente o interesse numa cooperação empresarial, eficiente e capaz, que privilegie o estabelecimento de parcerias público-privadas e/ou a criação de empresas de capital misto angolano-brasileira, visando o desenvolvimento e a diversificação da economia nacional nos sectores da energia, agricultura, agro-indústria, indústria transformadora, saúde, educação, ensino superior, bem como o sector económico e financeiro.

Segundo o ministro, esta visita tem também como objectivo avaliar os resultados alcançados nos diversos domínios da cooperação entre os dois países e "estancar possíveis constrangimentos existentes que possam impedir negativamente o desenvolvimento harmonioso das relações".

O chefe da diplomacia sublinhou a vontade política e o interesse de ambos os Governos em reforçar a cooperação em áreas de interesse vital para as economias dos dois Estados, que estabeleceram há oito anos uma parceria estratégica.

"Com o estabelecimento em Junho de 2010 da parceria estratégica entre Angola e o Brasil, impõe-se às relações num novo patamar, mais consentâneo com o nível político, económico, social e cultural dos dois países e das oportunidades que emergem num mundo cada vez mais globalizado e interdependente", frisou o ministro.

No que respeita à cooperação económica, Manuel Augusto referiu que apesar do momento difícil que ambos os países enfrentam, resultante da crise económica internacional, os dois Governos devem primar por encontrar soluções viáveis para ultrapassar dificuldades registadas em vários domínios, reforçando a parceria estratégica e adoptando medidas políticas coerentes.

"Para se atingir esse desiderato, o sector empresarial dos dois países deve desempenhar o seu papel, servindo como uma plataforma de ideias, de projectos e de programas, que nos conduzam ao aumento de investimento, das trocas comerciais nos dois sentidos, melhorando aquilo que deve ser melhorado no ambiente de negócio", disse.

Acrescentou que, no quadro do mecanismo de consultas regulares de alto nível, estabelecido entre os dois países em 2010, no âmbito da parceria estratégica, o mesmo afigura-se eficaz, pois tem permitido encontros regulares entre os ministros das Relações Exteriores dos dois países, quer através da troca de visitas ou à margem de eventos internacionais.

O governante disse que o Presidente do Brasil, Michel Temer, convidou o Presidente João Lourenço, para visitar o Brasil, em Maio deste ano, convite que já foi aceite e confirmado. A visita servirá para avaliar o estado actual da cooperação, identificar novas áreas de cooperação, conferir um novo impulso nas relações políticas e diplomáticas.

De visita a Luanda, o chefe da diplomacia brasileira tem agendada uma audiência com o Presidente e com o ministro das Finanças, Archer Mangueira.

Após as conversações entre as delegações está prevista a assinatura de protocolos de entendimento entre o Instituto de Relações Internacionais e o Instituto Rio Branco do Brasil, na área de formação de quadros e um memorando de entendimento entre o Instituto Superior de Relações Internacionais e a Fundação Alexandre de Gusmão brasileiro.

Mais Lidas