PCA da Endiama confirma construção de segunda fábrica de lapidação de diamantes

Angola vai avançar este ano para a construção da segunda fábrica de lapidação de diamantes, afirmou à agência Lusa o presidente do Conselho de Administração (PCA) da empresa pública concessionária do sector, a Endiama.
Sam Panthaki:
    Sam Panthaki

"Queremos deixar de vender os diamantes em bruto, ou pelo menos não vender 100 por cento. Mas sim vendermos uma boa parte sob a forma de diamantes lapidados", disse Carlos Sumbula, em Luanda. Esta segunda fábrica, cuja construção deverá arrancar até ao final do ano, permitirá lapidar 20 mil quilates de diamantes mensalmente e junta-se a outra unidade do género, cuja laboração foi retomada em fevereiro.

Desta forma, sublinha o administrador da Endiama, será possível obter "um valor acrescentado superior" com o negócio dos diamantes, permitindo, em simultâneo, "criar emprego" através da instalação de outras unidades fabris do género em Angola. "Ainda este ano pretendemos arrancar com pelo menos mais uma fábrica, em termos de construção, para atingirmos esse objectivo. Enquanto tivermos diamantes bruto nós achamos que devemos continuar a construir mais fábricas de lapidação", defende Carlos Sumbula.

O responsável adiantou ainda que as previsões apontam para que dentro de cinco anos seja possível contar com a apresentação de novas descobertas de reservas de diamantes no país, que permitam compensar o fim da operação nas extrações actuais. Carlos Sumbula afirmou que "há uma intensa actividade de prospeção" em curso em Angola, envolvendo várias multinacionais, existindo a "perspectiva de encontrar novas reservas". "Pensamos que no futuro, dentro de cinco a sete anos, poderemos ter boas descobertas. Mas por enquanto as reservas estão a caminhar para o fim, o que é normal porque estamos a explorar diamantes há várias dezenas de anos", explicou ainda o presidente do conselho de administração da Endiama.

Depois do petróleo, os diamantes são a principal fonte de receita angolana. Do total da extração angolana no último ano, 8,75 milhões de quilates da produção industrial seguiram para exportação, avaliada em 1,308 mil milhões de dólares.

A fábrica Angola Polishing Diamonds, da Sociedade de Comercialização de Diamantes de Angola (Sodiam), subsidiária da Endiama, representou um investimento inicial de 10 milhões de dólares, envolvendo aquando da sua constituição, em 2005, uma parceria com investidores estrangeiros. Actualmente com 168 trabalhadores, a fábrica prevê aumentar a força de trabalho até aos 400 efectivos.

Mais Lidas