Ver Angola

Cultura

Ondjaki estreia-se como realizador no Festival de Cinema de Roterdão

O filme “Vou Mudar a Cozinha”, que aborda a Guerra Civil angolana, marca a estreia de Ondjaki no cinema. O escritor e realizador angolano vai mostrar o seu filme no Festival de Cinema de Roterdão.

:

Com uma duração de cerca de meia-hora, o filme é a preto e branco, conta a história de uma jovem viúva assombrada pela Guerra Civil de Angola e integra uma banda sonora original composta por Filipe Raposo.

No festival, além do filme do angolano, também vão ser apresentados novos filmes de Pedro Neves Marques, Leonor Noivo, Ágata de Pinho e Edgar Pêra.

Adicionalmente, a competição principal do festival, que volta a ser 'online' este ano devido à pandemia de covid-19, integra "A Criança", de Marguerite de Hillerin e Félix Dutilloy-Liégeois, rodado em Portugal com produção da Leopardo Filmes.

Na competição de curtas-metragens do festival vão estar os filmes "Becoming Male in the Middle Ages", de Pedro Neves Marques, e "Madrugada", de Leonor Noivo, que faz assim a sua estreia internacional depois de ter conquistado o prémio de melhor filme da competição nacional no Curtas de Vila do Conde.

Já Ágata de Pinho vai apresentar "Azul" na secção de "Curta & Média duração", um filme de 20 minutos que o festival descreve como "uma estreia de mestre". Na mesma secção, o escritor e realizador angolano Ondjaki mostra "Vou mudar a cozinha", descrito por Roterdão como um "monólogo poético" de uma jovem viúva assombrada pela Guerra Civil de Angola.

Também nessa categoria vai estar "As sacrificadas", de Aurélie Oliveira Pernet, co-produção luso-suíça da GoldenEggProduction com a Primeira Idade que retrata uma mulher e a sua mãe num campo português devastado pelos incêndios, segundo a sinopse.

Na secção "Cinema Recuperado", que apresenta "clássicos restaurados, documentários sobre cultura cinematográfica e explorações da herança do cinema", vai ser exibido o histórico "Sambizanga", da francesa Sarah Maldoror, sobre a Guerra de Independência de Angola.

Antes, já havia sido anunciado que Edgar Pêra iria levar aos Países Baixos o seu "Kinorama", depois de, em 2019, ter sido alvo de uma retrospectiva por aquele festival.

A 51.ª edição do festival internacional de cinema de Roterdão vai decorrer de 26 de Janeiro a 6 de Fevereiro. Será a segunda edição consecutiva que o festival organiza apenas 'online'.